Grand Am | Notícias | Portugueses

Grand Am / Kansas: Corrida

Wayne Taylor Racing regressa às vitórias no Kansas – João Barbosa ficou à porta do pódio (c/ video)

por Hugo Ribeiro, 19 de Agosto de 2013 Sem Comentários

© Grand Am

Depois de nas últimas quatro provas ter ficado fora do top 5, a Wayne Taylor Racing regressou às vitórias no Kansas Speedway, no estado norte-americano do Kansas, onde teve lugar a 10.ª prova da temporada 2013 do Grand Am Sports Car Series. João Barbosa ficou à porta do pódio, terminado na 4.ª posição uma corrida cuja sorte cedo ficou ditada após um toque quando liderava.

O Grand Am competiu pela primeira vez no Kansas Speedway, num dia de corridas a fazer lembrar um pouco o espírito de Daytona: a prova começou durante o dia, mas terminaria já com noite serrada apesar da curta duração. Prova muito animada, cujo resultado final lançaria ainda mais confusão nos campeonatos onde uma mão bem cheia de pilotos (e de equipas) mantêm ainda a esperança de conquistar os últimos títulos antes da fusão com o American Le Mans Series.

Com alguns dos favoritos a ficarem pelo caminho, como foi o caso da dupla Ryan Dalziel / Alex Popow do Riley BMW #2 da Starworks Motorsport que se despistaria a meio da prova e perderia imensos lugares (e a asa traseira por completo), ou a dupla Jon Fogarty/Alex Gurney do Corvette #99 da GAINSCO que se envolveria num toque e prolongada reparação (perdeu uma porta), a corrida acabaria resumida no final a uma luta sem tréguas entre o Riley BMW #1 da Chip Ganassi, com Memo Rojas e Scott Pruett, e o Corvette #10 da Wayne Taylor Racing, com Jordan Taylor e Max Angelelli. Pruett bem tentou, chegou mesmo a reduzir o tempo da melhor volta da corrida por algumas vezes nas últimas 30 voltas, mas Taylor segurou todas as investidas e mais algumas, e levou de vencida a penúltima prova da temporada, apesar de pela primeira vez ter ficado encarregue de fazer o último turno de condução numa prova do Grand Am.

 “Obviamente que estava [ndr.: Scott Pruett] no meu espelho o tempo inteiro, e a malta dizia-me quem ele era,” afirmou Jordan Taylor no final da prova. “Foram duas horas de grande stress, tenho de o dizer. Foi a primeira vez que terminei uma corrida na classe DP, o Max foi excelente no arranque e a estratégia foi perfeita. Penso que fomos os único a fazer o que fizemos e funcionou lindamente hoje. Todos no campeonato são muito bons – o Pruett, o Fittipaldi, o Barbosa, o Max – todos eles podem ganhar corridas. Ter pilotos como eles atrás de mim ao longo de praticamente uma hora e meia é muito desgastante, mas eu sabia que tínhamos um bom carro e toda a gente estava a apoiar-me. Estou muito satisfeito por ter ganho aos melhores!”

Depois de ter qualificado o Corvette #5 da Action Express Racing na 3.ª posição, Christian Fittipaldi teve uma excelente largada assumindo a liderança da prova ainda antes da conclusão da primeira volta, passando o Riley BMW #01 de Memo Rojas e o Riley Ford #6 de Gustavo Yacaman, mas 11 voltas depois, Rojas tenta uma arriscada ultrapassagem por dentro na curva 4 e o toque foi inevitável. Ambos acabariam por se ver forçados a uma paragem para reparações, e o #01 levaria mesmo uma penalização por "toque evitável", mas seria o #5 a sair mais maltratado dado que o setup do carro não mais seria o mesmo.

Atrás do prejuízo, uma vez mais a Action Express Racing teve de adaptar a estratégia à força das circunstâncias, e com a sempre preciosa ajuda das neutralizações por bandeiras amarelas, e já com João Barbosa ao volante, o #5 não só se colocaria de novo na discussão pelo pódio, como passaria mesmo uma vez mais pelo comando. Mas, não há bela sem senão: depois de duas paragens sem mácula, a última paragem revelar-se-ia fatal para as aspirações da dupla luso-brasileira, que perderia vários lugares, tendo Barbosa conseguido ainda recuperar até à 4.ª posição.

“Conseguimos salvar um bom resultado apesar dos problemas com o Corvette,” afirmou João Barbosa, após a prova, ao Le Mans Portugal. “Depois do toque que o #01 nos deu no inicio da corrida, o setup do carro alterou-se significativamente, sobretudo a nível aerodinâmico, pois ficamos sem uma parte importante do flap traseiro e daí com bastante menos apoio aerodinâmico. Durante todo o fim de semana fomos bastante competitivos, pelo menos um lugar no pódio estava ao nosso alcance, mas apesar de tudo minimizamos os danos e encurtamos a diferença para a liderança do campeonato. Com apenas duas corridas para terminar, tudo está ainda em aberto, com cinco carros separados por apenas 5 pontos!!! Cada corrida vai ser de extrema importância, não só para ganhar pontos, mas sobretudo para não perder... Qualquer deslize neste momento tira a hipótese de discutir o campeonato na ultima corrida.

Com este resultado, Jordan Taylor e Max Angelelli estão de novo na liderança do Grand Am 2013, seguidos de Christian Fittipaldi a apenas dois pontos, enquanto João Barbosa se encontra na 5.ª posição a apenas quatro pontos. O título já dificilmente cairá nas mãos do piloto português, a menos que Fittipaldi não cumpra o tempo mínimo de pilotagem nas provas que faltam, mas ainda assim está em jogo, para além do título do companheiro de equipa, o também importante título de equipas, onde as contas se encontram um pouco mais complicadas, com o #5 da Action Express Racing a 16 pontos do #01 da Chip Ganassi Racing.

Na classe GT, vitória para o Ferrari 458 Italia #63 da Scuderia Corsa com a dupla Alessandro Balzan (primeira vitória no Grand Am) e Leh Keen a subirem ao lugar mais alto pela primeira vez esta temporada, subindo também assim, tanto em pilotos como em equipas, para a liderança do campeonato. Seria uma luta intensa ao longo das 2h45 de prova, envolvendo sobretudo o Ferrari 458 Italia #61 da R.Ferri/Aim Motorsport – que acabaria por se atrasar nas derradeiras voltas – e o Porsche 911 GT3 #73 da Park Place Motorsports que terminaria na 2.ª posição apesar dos esforços de Patrick Long. A fechar o pódio ficou o Ferrari #69 da AIM Autosport Team FXDD.

Na classe GX, nova vitória para o Mazda6 #00 de Joel Miller e Tristan Nunez , a quinta da temporada para a equipa SpeedSource.

Depois de duas provas em dois fins-de-semana, o Grand Am regressa apenas a 8 de Setembro para a penúltima corrida da temporada, que terá lugar no circuito de  Laguna Seca, na California, EUA.

[table “588” not found /]

Campeonato de Pilotos
1.º Jordan Taylor / Max Angelelli — 269 pontos
2.º Christian Fittipaldi — 267 pontos
3.º Alex Popow / Ryan Dalziel — 266 pontos
4.º Alex Gurney / Jon Fogarty — 265 pontos
5.º João Barbosa — 265 pontos

Campeonato de Equipas
1.º Chip Ganassi Racing with Felix Sabates #01 — 283 pontos
2.º Wayne Taylor Racing #10 — 269 pontos
3.º Action Express Racing #5 — 267 pontos
4.º Starworks with Alex Popow #2 — 266 pontos
5.º GAINSCO/ Bob Stallings Racing #99 — 265 pontos

YouTube Preview Image

Fonte (citação de Jordan Taylor): comunicado de imprensa da Wayne Taylor Racing