ELMS | Notícias | Portugueses

ELMS / 4H Silverstone: Rescaldo

Vitória sensacional para a Greaves Motorsport nas 4 Horas de Silverstone — Ferrari Portugal no pódio na classe GTC

por Press Release (edição: Hugo Ribeiro), 15 de Abril de 2015 Sem Comentários

© ELMS - Adrenal Media

Se o fim-de-semana de competição em Silverstone foi coroado com uma corrida de antologia no WEC, um dia antes o 'Europeu' não deixou os seus créditos por mãos alheias. O European Le Mans Series continua a proporcionar corridas fantásticas, e as 4 Horas de Silverstone 2015 foram mais do mesmo, no melhor dos sentidos. Filipe Albuquerque terminou no segundo lugar... outra vez; a Ferrari Portugal (Felipe Barreiros e Francisco Guedes) foi também segunda na classe GTC; e Rui Águas ficou pelo caminho após ter visto da box o seu Ferrari a ser atirado para fora da pista.

O European Le Mans Series — o que poderia ser o Campeonato Europeu de Resistência — arrancou este fim-de-semana no Reino Unido com as 4 Horas de Silverstone, e neste começo da temporada 2015 fica a promessa de mais do mesmo. Algumas equipas foram medir forças para o WEC, nomeadamente a bi-campeã Alpine a Morand Racing, mas o ELMS mantém intocável o seu nível competitivo. Em Silverstone, mas uma excelente corrida, cujo desfecho final manter-se-ía em aberto até à bandeira de xadrez com os dois Gibson 015S Nissan presentes no ELMS, o da Greaves e o da Jota Sport de Filipe Albuquerque, a terminarem a 0.3s um do outro.

As cores lusitanas estiveram bem representadas, e para além de Albuquerque, Rui Águas e a dupla Felipe Barreiros/Francisco Guedes marcaram também presença. Rui Águas cumpriu liderando a classe GTE no seu turno, mas viria a sua equipa desistir pouco depois. Felipe Barreiros/Francisco Guedes e a Ferrari Portugal alcançariam um 2º lugar entre os carros da classe GTC.

Pena a ausência da equipa luso-britânica Algarve Pro Racing Team, que não conseguiu encontrar pilotos para alinhar no seu Ligier JS P2 Nissan ao lado de Andrea Roda. A equipa, segundo os nossos companheiros do sportmotores.com, têm previsto uma jornada de testes no Estoril no próximo mês, Maio, mas o futuro desta inscrição no ELMS é pouco clara... e a equipa poderá falhar Imola também, apesar de fazer parte da lista provisória (o que é normal visto que se inscreveu para toda a temporada). Num campeonato competitivo como o ELMS, com apenas cinco provas, com a ausência em Silverstone é ponto assente que qualquer sonho de um título é pura miragem... o lugar de reserva nas 24 Horas de Le Mans deste ano ninguém lhes tira, mas o futuro em Le Mans fica também na corda bamba se a equipa não for capaz de apresentar um projecto competitivo sólido.

Vitória sensacional para a Greaves Motorsport

© ELMS - Adrenal Media

© ELMS - Adrenal Media

O Gibson 015S-Nissan #41 da Greaves Motorsport, com Gary Hirsch, Bjorn Wirdheim e Jon Lancaster, obteve uma emocionante vitória na prova de abertura do ELMS em Silverstone, cruzando a linha de chegada com 0.370s de vantagem sobre o também Gibson Nissan #38 da Jota Sport, após uma corrida de 4 horas frenética. O ponto alto da corrida teve lugar após a segunda entrada do safety-car em pista a uma hora e meia do final da prova após um incidente em pela linha de boxes envolvendo dois carros da classe GTC.

Anda antes de lá chegar, já a prova entre os LMP2 mostrava sinais de ir ser discutida taco-a-taco até ao final. Largando do primeiro lugar da grelha, Gary Hirsch, no Gibson 015S Nissan #41 da Greaves Motorsport que dividia com Bjorn Wirdheim e Jon Lancaster, assumiria a frente da corrida sobre forte pressão do piloto português Filipe Albuquerque que seguia no Gibson 015S Nissan da Jota Sport que dividia com Simon Dolan e Harry Tincknell, e do Oreca 05 Nissan #46 da TDS Racing com Pierre Thiriet ao volante, tendo como companheiros de equipa Ludovic Badey, Tristan Gommendy. Atrás, durante uma boa parte do tempo seguiu o Oreca 03 Nissan #32 da AF Corse (na verdade trata-se da SMP Racing, que assim encontrou a forma de ultrapassar o facto das empresas americanas — como a Dunlop — não poderem negociar com determinadas empresas russas como a SMP Bank, embargadas devido à crise na Ucrânia…), mas seria entre os três da frente que a luta seria mais intensa. Albuquerque assumiu a liderança da prova ainda durante a 1ª hora de prova, e após dois turnos passaria o volante do #38 na frente da corrida, seguindo-se também dois turnos de Simon Dolan, com o gentlemen-driver a manter a segunda posição durante o seu primeiro turno, caindo para a terceira posição durante o seu segundo, altura em que a Greaves e o piloto Bjorn Wirdheim colocariam-se na 1ª posição. Por esta altura já o 5º classificado, o #32 da AF Corse (SMP Racing) se encontrava a 1 volta de atraso.

A prova terminaria com um final estonteante com os últimos turnos de condução dos três da frente. Tristan Gommendy no Oreca Nissan da TDS Racing, Harry Tincknell no Gibson Nissan da Jota Sport e Jon Lancaster no Gibson Nissan da Greaves Motorsport a envolverem-se numa luta frenética pela vitória, com vários toques e 'chega p'ra lá' entre eles, alguns a incluir umas idas à gravilha ou à relva, e que terminariam com um evidente e vocal mau estar (com algumas indirectas sobre o espirito Le Mans de alguns pilotos...) durante a conferencia de imprensa após a corrida. O momento que decidiria definitivamente a vitória à geral e na classe LMP2 aconteceria quando Gommendy e Lancaster tocam-se a quatro voltas do fim e que levaria o Oreca Nissan a descrever um pequeno pião, perdendo não só a liderança como ainda o 2º lugar. Tincknell, agora piloto oficial da Nissan, ainda tentou tudo por tudo para levar a melhor sobre Lancaster, mas acabaria a 0.370s, naquela que seria a margem mais curta entre o vencedor e o 2º classificado na história do European Le Mans Series. Gommendy chegaria 19.693s depois de Tincknell.

LM3: Hoy e Robertson são os primeiros vencedores da nova classe

© NISMO

© NISMO

A prova de Silverstone foi palco da estreia em competição da nova classe LMP3, uma classe que veio substituir a pouco bem sucedida LMPC com base nos Oreca FLM09 Chevrolet, e que provou ser até ao momento uma aposta ganha... a ver vamos o rumo que a classe segue no futuro. Totalmente dominada pelos Ginetta Nissan — todos os cinco LMP3 são do construtor britânico e os dois LMP3 que ficaram de fora também o são —, a classe teve em Sir Chris Hoy e em Charlie Robertson os primeiros vencedores ao volante do #3 do Team LNT... a equipa oficial da Ginetta.

Apesar de dois piões protagonizados pelo 6 vezes medalha de ouro em Jogos Olímpicos, Sir Chris Hoy, a dupla do #3 seria superior aos seus companheiros de equipa do #2, depois uma fase inicial de corrida que viu ambos os carros do Team LNT (que largariam atrás devido a um problema nos limitadores de velocidade nas boxes) em acessa luta com o #11 da Lanan Racing e o #15 da SVK By Speed Factory. Hoy recebia o #3 de Robertson com uma volta de avanço, perderia algum tempo, mas ainda o entregaria de novo a Robertson com 80s de vantagem. Robertson trataria uma vez mais de colocar todo o plantel LMP3 a pelo menos um volta de distância, nomeadamente o #2 de Simpson / Paletou e o #7 da Bolton University com Garofall / Petersen (que ficaria a duas voltas), que terminariam na segunda e terceira posições.

GTE: Gulf Racing vence em casa

© ELMS - Adrenal Media

© ELMS - Adrenal Media

Com as duas classes de protótipos a verem equipas britânicas a ocupar o lugar mais alto do pódio, a classe GTE também seguiu o exemplo não só com uma equipa britânica, mas com uma cuja sede fica em Milton Keynes a uma mão cheia de quilômetros de Silverstone: a Gulf Racing UK. Ao volante do Porsche 911 RSR #86 pintado com as emblemáticas cores da Gulf, Phil Keen foi fundamental na vitória da equipa inglesa ao ter realizado um turno duplo que colocaria o #86 na liderança após uma animadíssima luta com o Porsche #88 da Proton Competition e o Ferrari #66 da JMW Motorsport. Mas o momento que decidiria a corrida ocorreria durante a segunda situação de safety-car, sobretudo após a direcção de corrida ter permitido que o Porsche ultrapassasse o SC, ganhando assim uma volta de vantagem sobre todos os restantes GTE.

A JMW terminaria na segunda posição após uma prova excelente onde a equipa subiu da 6ª posição até à 2º, com a AF Corse e o Ferrari #55 a terminar no último lugar do pódio. Pouca sorte para o piloto português Rui Águas que terminaria a prova à 22 volta depois de ter liderado a corrida até à primeira ronda de paragens, altura em que passou o volante para Stephen Wyatt, que pouco depois se envolveria num toque com os seus colegas de equipa do Ferrari #51 da AF Corse (que abalroou o Ferrari de Águas quando se desvia do Gibson Nissan da Greaves) e que levariam à sua desistência, numa altura em que lutavam ambos pela liderança da prova.

GTC: TDS Racing vence com facilidade

Pouca história entre os carros da classe GTC, a única que viu melhor plantel em 2014. O BMW Z4 GT3 #59 da TDS Racing, pilotado por Dino Lunardi, Eric Dermont e Franck Perera venceu com relativa facilidade após uma luta inicial com o Ferrari #63 da AF Corse e com o Aston Martin Vantage GT3 #65 da Massive Motorsport, que acabariam por não terminar a prova... ao envolverem-se os dois na linha de boxes!!!. Sem ambos os mais esclarecidos rivais, a TDS Racing não teve qualquer problema em deixar o Ferrari #64 da AF Corse, pilotado por Mads Rasmussen e pela dupla portuguesa da Ferrari Portugal Felipe Barreiros / Francisco Guedes, a duas voltas de distância na 2ª posição. Na terceira posição ficaria o Lamborghini Gallardo da Gulf Racing UK.

P.ºCl.N.ºEquipasChassis / MotorVLTDif.P.ºCl.
1.ºP241Greaves MotorsportGibson 015S Nissan118(4h01:15.279s)[ 1.º ]
2.ºP238Jota Sport [ Albuquerque ]Gibson 015S Nissan118+0.370s[ 2.º ]
3.ºP246Thiriet by TDS RacingOreca 05 Nissan118+20.063s[ 3.º ]
4.ºP240Krohn RacingLigier JS P2 Nissan117-1 volta[ 4.º ]
5.ºP233Eurasia MotorsportOreca 03R Nissan116-2 voltas[ 5.º ]
6.ºP232AF CorseOreca 03 Nissan114-4 voltas[ 6.º ]
7.ºP245Ibanez RacingOreca 03R Nissan114-4 voltas[ 7.º ]
8.ºGTE86Gulf Racing UKPorsche 911 GT3 RSR110-8 voltas[ 1.º ]
9.ºGTE66JMW MotorsportFerrari 458 Italia109-9 voltas[ 2.º ]
10.ºGTE55AF CorseFerrari 458 Italia109-9 voltas[ 3.º ]
11.ºGTE52BMW Team Marc VDSBMW Z4 GTE109-9 voltas[ 4.º ]
12.ºGTE88Proton CompetitionPorsche 911 RSR109-9 voltas[ 5.º ]
13.ºGTE60Formula RacingFerrari 458 Italia109-9 voltas[ 6.º ]
14.ºGTC59TDS RacingBMW Z4 GT3108-10 voltas[ 1.º ]
15.ºGTE56AT RacingFerrari 458 Italia107-11 voltas[ 7.º ]
16.ºP33Team LNTGinetta Juno Nissan107-11 voltas[ 1.º ]
17.ºP32Team LNTGinetta Juno Nissan106-12 voltas[ 2.º ]
18.ºGTC64AF Corse [ Barreiros/Guedes ]Ferrari 458 Italia GT3106-12 voltas[ 2.º ]
19.ºP234AF CorseOreca 03 Nissan105-13 voltas[ 8.º ]
20.ºP37University of BoltonGinetta Juno Nissan105-13 voltas[ 3.º ]
21.ºP315SVK By Speed Factory Ginetta Juno Nissan102-16 voltas[ 4.º ]
22.ºGTC85Gulf Racing UKLamborghini Gallardo LP560 GT392-26 voltas[ 3.º ]
Não Classificados
P244Ibanez RacingOreca 03R Nissan99
P248Murphy PrototypesOreca 03R Nissan83
GTC63AF CorseFerrari 458 Italia GT367
GTC68Massive MotorsportAston Martin Vantage GT365
P229Pegasus RacingMorgan Nissan64
P311Lanan RacingGinetta Juno Nissan52
GTE51AF CorseFerrari 458 Italia35
GTE81AF Corse [ Águas ]Ferrari 458 Italia22
GTC62AF CorseFerrari 458 Italia GT3

O European Le Mans Series regressa a 16 e 17 de Maio, no circuito italiano de Imola, para as 4 Horas de Imola. Ainda antes, no inicio do mês, algumas equipas do ELMS deverão marcar presença nas 6 Horas de Spa, segunda etapa do WEC.