Le Mans | Notícias | Portugueses | WEC

WEC / 6H Bahrain: Corrida

Toyota vence… a sério! — Ferrari conquista Títulos na classes GTE Am

por Press Release (edição: Hugo Ribeiro), 2 de Dezembro de 2013 4 Comentários

© Toyota Racing

© Toyota Racing

Se esperavam uma corrida aborrecida, com os títulos principais (LMP1) já decididos... esperaram mal! Houve drama quanto baste, sobretudo na classe GTE Pro onde a Aston Martin perdeu de forma inglória os títulos que pareciam ser praticamente seus. Mas como o azar de uns é a sorte de outros, a Ferrari, pelas mãos da AF Corse, conquistou na resistência o que não consegue na Formula 1... há uns cinco anos.

Excelente corrida aquela a que assistimos no passado sábado no Bahrain. As 6 Horas do pequeno reino árabe foram recheadas de emoção e drama, com todos os títulos — excepto os da classe rainha, a LMP1 — em discussão. Poderá parecer pouco... mas é puro engano!! Houve grandes momentos em pista, ouve imenso drama na GTE Pro, um Audi a ficar pelo caminho com problemas mecânicos (coisa mais do que rara) e houve sobretudo a clara sensação de que o WEC vai no bom caminho, pelo menos dentro de pista. Já fora desta, sem a monumental logística montada para levar dezenas de milhares de fãs ao Circuito Internacional do Bahrain aos Grandes Prémios de F1, foram "meia dúzia" de almas as que assistiram à season finale do Campeonato do Mundo de Resistência (WEC).

Sortes diferentes para os portugueses, com Lamy a sofrer na pele o azar da marca inglesa, vendo o motor entregar a alma ao criador quando seguia na segunda posição em condições de dar o título de construtores à Aston Martin. Rui Águas esteve uma vez mais em alto nível, falhando ainda assim um mais do que justificado título de pilotos na classe GTE Am, mas dando o título de equipas à "sua" 8 Star Motorsport.

LMP1: Toyota vence… a sério!

A Toyota Racing venceu pela primeira vez… em competição no WEC 2013, na season finale no Bahrain. O Toyota TS030 Hybrid #8, com Anthony Davidson, Sébastien Buemi e Stéphane Sarrazin, venceu uma prova cheia de atritos e alguns revezes para os dois construtores equipados com motorizações híbridas. O trio anglo-suíço-francês cruzou a linha de chegada com mais de 1:10s de vantagem sobre o Audi R18 e-tron quattro, de André Lotterer, Benoît Tréluyer e Marcel Fässler, mas ambas as equipas sofrerem diferentes sortes ao longo da prova que em dois terços da sua duração foi disputada na escuridão, no magnífico Bahrain International Circuit.

Um problema de motor causou a desistência do pole sitter, o Toyota #7 de Alex Wurz, Nicolas Lapierre e Kazuki Nakajima, um pouco antes do fim da segunda hora de prova, enquanto um problema na transmissão, algo raro num Audi, acabaria cedo com a prova para os novos Campeões Mundiais, Loïc Duval, Tom Kristensen e Allan McNish. Apesar de não se ter classificado na oitava e última prova do campeonato 2013, o trio já havia assegurado em Xangai os pontos necessários para o título.

Apesar do título LMP1 Privados já estar assegurado há imenso tempo, pela sem rival Rebellion Racing, a última corrida da equipa suíça com o Lola Toyota terminou de forma espectacular com um incêndio no motor quando estavam decorridos apenas 90 minutos de prova. Nicolas Prost reagiu sensatamente e parou junto de um posto de incêndio, permitindo que as chamas fossem extintas rapidamente, tendo obrigado de qualquer forma à desistência da equipa.

LMP2: G-Drive domina… OAK Racing leva o título

Na classe LMP2, o Oreca 03 Nissan #26 da G-drive Racing venceu pela quarta vez esta temporada, pelas mãos de Roman Rusinov, Mike Conway e John Martin, mas o segundo lugar do Morgan Nissan #24 da OAK Racing, com Olivier Pla, Alex Brundle e David Heinemeier Hansson, foi suficiente para dar à equipa francesa o Troféu Mundial de Equipas LMP2.

Em quarto lugar, atrás do Zytek Z11SN Nissan #41 da Greaves Motorsport, com os estreantes Wolfgang Reip e Jon Lancaster a acompanhar Bjorn Wirdheim ao volante, ficou o Morgan Nissan #35 da OAK Racing, resultado que também foi mais do que suficiente para garantir o título de pilotos a Martin Plowman, Bertrand Baguette e Ricardo Gonzalez, oferecendo também o segundo lugar no campeonato de equipas à OAK Racing.

GTE Pro: Título Mundial para a AF Corse e para a Ferrari

Foi um dia de altos e baixos extremos para muitos dos concorrentes nas classes GTE Pro e GTE Am nas 6 Horas do Bahrain. Quando a bandeira de xadrez caiu sobre a última prova do WEC 2013, foi a Ferrari e a AF Corse quem celebrou com a conquista de três títulos, entre eles a Taça Mundial de Construtores GT, por uma margem de apenas 8.5 pontos sobre a Aston Martin.

O Ferrari 458 Italia #51 de Gianmaria Bruni e Toni Vilander, da AF Corse, dominou a corrida após as primeiras 40 voltas, cruzando a linha de chegada perante um enorme aplauso da equipa que, tal como os dois pilotos, teve uma prova isenta de erros. Com a desistência dos dois Aston Martin Vantage, ambos com problemas de motor, a Ferrari não teve rivais na luta pelo Taça Mundial de Resistência de Construtores GT, nem Bruni na luta pelo Taça Mundial de pilotos.

A Aston Martin parecia perto de vencer o título de Construtores, graças ao 2º lugar do #99 de Bruno Senna, Pedro Lamy e Richie Stanaway à entrada para a última hora de prova, mas acabaria por por ver tudo esfumar-se quando este entrou na box com um problema de motor sem resolução. Cedo na corrida já o #97 de Darren Turner e Stefan Mücke havia desistido, depois de ter chegado ao Bahrain na liderança da classificação de pilotos.

O segundo lugar na classe foi para o Porsche 911 RSR #92 da Porsche AG Team Manthey, de Jörg Bergmeister e Patrick Pilet, à frente do Ferrari #71 da AF Corse, de Kamui Kobayashi e Giancarlo Fisichella. Embora o piloto italiano tenha pilotado com Bruni ao longo da temporada, a decisão da Ferrari em separá-los para a última prova fez com que este ficasse no terceiro degrau do pódio a aplaudir o seu colega de equipa, em vez de estar ao lado deste e assim vencer também a Taça Mundial de Pilotos. Em 4º lugar terminou o Porsche #92 de Marc Lieb e Richard Lietz.

GTE Am: 8 Star Motorsports e Aston Martin dividem títulos

O duplo sucesso da Aston Martin Racing na classe GTE Am foi uma forma de amenizar o descalabro na GTE Pro. O Vantage #95 de Nicki Thiim, Kristian Poulsen e Christoffer Nygaard foi o vencedor, enquanto o 5º lugar de Jamie Campbell-Walter e Stuart Hall, que tiveram a companhia de Roald Goethe, lhes garantiu o Troféu Mundial de Pilotos GTE Am.

No segundo da classe terminou o Ferrari #81 da 8Star Motorsports, o suficiente para a equipa italo-americana — que é gerida em associação com a AF Corse — conquistar o Troféu Mundial de Equipas por apenas 3 pontos sobre o #96 da Aston Martin Racing. O Porsche #76 da IMSA Performance Matmut, com Raymond Narac, Jean-Karl Vernay e Markus Palttala, viu-se fora da luta após um contacto com um protótipo. Após a reparação da suspenção danificada, acabou por terminar na 11ª posição. Em terceiro lugar terminou o Ferrari #61 da AF Corse, com Matt Griffin, Emanuel Collard e François Perrodo, um resultado que foi a cereja no topo do bolo para a equipa italiana.

[table “621” not found /]

Comunicado de imprensa FIA WEC