Notícias | Portugueses | WEC

WEC / 6H Austin

Toda a Informação sobre as 6H de Austin: Antevisão, Inscritos, Programa e Transmissão

por Hugo Ribeiro, 18 de Setembro de 2013 2 Comentários

© FIA WEC

© FIA WEC

Depois da passagem pela América do Sul, o Campeonato Mundial de Resistência (WEC) está agora na América do Norte, nos EUA. Não se trata de Sebring, nem de Petit Le Mans, mas sim das 6 Horas do Circuito das Américas (Circuit of the Americas, na designação original), em Austin, uma estreia absoluta. Circuito novo significa que todos partem praticamente em pé de igualdade, pese embora alguns pilotos já aqui terem rodado noutras competições. Além disso, esperam-se temperaturas altas no estado do Texas, o que poderá aumentar o grau de dificuldade, como no Bahrein em 2012.

Depois de dois meses e meio sem corridas... a segunda em três semanas. O WEC rumou a norte depois da passagem por São Paulo, fixando-se no Texas, em Austin, no novo Circuit of the Americas, que se estreia no calendário mundial de endurance. Ao facto de este ser um circuito praticamente desconhecido de todos, juntam-se ainda as altas temperaturas que se esperam para este fim-de-semana que, tal como no Bahrein em 2012, poderão ter uma palavra a dizer no desfecho da prova. Já a contar com a falta de dados relativos ao circuito, os organizadores decidiram proporcionar dois dias de testes antes do arranque oficial da prova. A lista de inscritos mantém-se estável, com 28 carros — 17 protótipos e 11 GTs — e os suspeitos do costume.

Antevisão

© Audi Motorsport

© Audi Motorsport

LMP1: Audi contra Audi

Por muito que gostássemos de dizer o contrário, a Toyota Hybrid Racing é neste momento uma carta fora do baralho em termos de campeonato. A grande discussão, até ao final do Mundial, será entre os dois carros da Audi, com a Toyota a desempenhar papel de mero espectador privilegiado, que poderá ainda assim ver Davidson, Sarrazin e Buemi intrometerem-se e dificultar a vida a um dos carros alemães. Em São Paulo esperava-se que a Toyota — não totalmente pelas características do circuito — pudesse ter uma palavra a dizer no que toca à discussão pela vitória na corrida graças a uma maior autonomia em termos de combustível. Com uma possível paragem a menos, a actual falta de performance poderia ser atenuada, mas o TS030 apenas durou 30 minutos em pista. A Toyota afirma-se convicta que as alterações feitas antes de São Paulo poderão dar uma mão na tentativa de ainda vencer este ano... mas, a ver vamos.

© FIA WEC

© FIA WEC

Afastada a principal rival, pelo menos no que toca ao resultado global — título mundial de pilotos e construtores —, a principal luta a seguir será entre os dois Audi e-tron quattro da Audi Sport Team Joest. São Paulo voltou a relembrar aos mais esquecidos que a Audi não é isenta de problemas, ou está livre de cometer verdadeiras asneiradas como deixar sair para a pista um carro com uma das rodas mal apertada, como aconteceu com o ainda líder da classificação, o #2 de Kristensen, McNish e Duval. Sobretudo para Kristensen e McNish, este Mundial surgiu tarde nas suas carreiras e não haverá muitas mais oportunidades de juntarem ao seu extenso currículo o título de Campeão Mundial de Resistência. As portas estão abertas à luta interna, desde que isso não prejudique o resultado global, mas do outro lado estão "apenas" LottererTréluyerFässler, aquele que é o mais rápido e consistente trio de pilotos de resistência da actualidade, e os principais candidatos ao derrube do recorde de Kristensen em Le Mans.

Por fim, a única equipa privada LMP1. Com a Strakka Racing fora de combate, pelo menos este ano, ProstHeidfeldBeche partem de novo no Lola B12/60 Toyota da Rebellion Racing com o único objectivo de tentar acabar a prova e procurar uma borla das equipas oficiais, como em São Paulo, que lhes valeu um bem merecido e recompensador lugar no pódio à geral. A Taça Mundial de Privados LMP1 também já lhes pertence...

© DPPI / OAK Racing

© DPPI / OAK Racing

LMP2: Vantagem para a OAK Racing

Na habitualmente equilibrada classe LMP2, a discussão pela Taça Mundial começa a ficar bem definida: até à season finale, se nada de extraordinário acontecer, esta terá como protagonistas a OAK Racing (Morgan Nissan) e a Pecom Racing (Oreca Nissan). Pelo caminho ficaram já algumas das favoritas no início da temporada, nomeadamente a ADR-Delta (Oreca Nissan) e a G-Drive Racing (Oreca Nissan, apoiada pela ADR-Delta), e a Greaves Motorsports (Zytek Nissan) tirando em Le Mans, não mostrou o fulgor que lhe é conhecido.

BaguetteGonzalez e Plowmann lideram entre os LMP2, no Morgan Nissan #35, algo que provavelmente no início da temporada ninguém arriscaria em apostar. A vitória em Le Mans catapultou-os definitivamente para a rivalta, enquanto os favoritos da equipa francesa, PlaHeinemeier-Hansson e Brundle parecem seguir no caminho contrário. Entre as duas equipas de pilotos OAK seguem Perez-CompacMinassianKaffer, que levam uma vitória em Spa e três terceiros lugares. A luta é de facto entre estes, mas terão para isso de se superiorizar às restantes equipas, que pese embora estarem já afastadas do objectivo principal, têm todos os argumentos para ganharem em Austin ou noutra pista qualquer. A única excepção é a Lotus...

GTE: Porsche vs Ferrari vs Aston Martin... Parte V

Na classe rainha dos GTs, a GTE Pro, é mais do mesmo: São Paulo voltou a baralhar as contas, com a Porsche AG Team Manthey a perder a liderança na classe após uma corrida onde todos tiveram problemas, mas onde a Porsche sairia mais prejudicada. A Taça Mundial de Equipas e de Construtores está no entanto ao rubro e esta será apenas mais uma etapa na mais competitiva classe do WEC. A Ferrari (Construtores), a Aston Martin Racing (Equipas) e a dupla Turner / Mücke seguem na frente, mas nada lhes garante que assim continuem após a prova de Austin. Bruni e Fisichella venceram para a AF Corse (Ferrari) em São Paulo.

Em os GTE Am, as contas estão equilibradas no topo da tabela, com quatro equipas representando quatro construtores separadas por pormenores. A IMSA Performance (Porsche) leva ainda vantagem, com NaracBourretVernay a liderar também entre os pilotos da classe fruto do resultado em Le Mans e da fraca prestação dos seus mais directos rivais na mesma prova, mas na peugada seguem a Aston Martin Racing, a 8Star Motorsport (Ferrari) com o nosso Rui Águas, e ainda a campeã em título, a Larbre Competition (Corvette), e no que toca a candidatos à vitória em Austin, há que incluir a Proton Competition (Porsche), que apesar de mais distante não é ainda uma peça a descartar de todo.

Portugueses
Pedro Lamy e Rui Águas são os 'tugas' que ostentam as cores lusitanas no WEC. De Pedro Lamy, ao volante do Aston Martin Vantage #98, pouco se pode esperar. Em São Paulo brilhou com a pole position na classe, e em Austin até pode repetir o feito, mas em corrida não tem companheiros de equipa que o acompanhem em termos de performance. Já Rui Águas parece caminhar para uma das suas melhores temporadas dos últimos anos, fruto de uma mudança para a 8Star Motorsports (Ferrari) que viu o português finalmente ter companheiros de equipa competitivos. Está a dois pontos (piloto e equipa) da Taça Mundial, e poderá muito bem de sair de Austin — um circuito que a equipa já conhece — na frente desta.

ESTATÍSTICAS

Recorde da Pista

Primeira Edição

Vencedores das 6 Horas do Circuito das Américas

Primeira Edição

AS EQUIPAS, OS CARROS, OS PILOTOS

[table “594” not found /]

Programa e transmissão

As soluções para acompanhar as as 6 Horas do Circuito das Américas são variadas:

  • A Radio Le Mans, como é já uma tradição, irá transmitir via web radio todas as sessões, sem excepção e na íntegra.
  • Em termos de transmissão televisiva, a corrida poderá ser acompanhada, também na íntegra, no canal Motors TV, com os excelentes comentários por parte da equipa Radio Le Mans, em inglês. A Eurosport depois de ter ignorado as 6 Horas de São Paulo, volta a transmitir uma prova do WEC, com 4 horas e meia de transmissão em directo. Os comentários, como sempre, estão a cargo de João Carlos Costa e Ricardo Grilo.
  • Uma alternativa para quem não tem acesso ao canal Motors TV ou Eurosport, passa por acompanhar via live streaming (ou web tv) no site oficial do WEC (com os comentários da Radio Le Mans também), onde poderão também consultar o live timing.

HORÁRIOS (PROGRAMA E TRANSMISSÃO)

Quinta-Feira, 19 de Setembro
Início Fim Evento Sessão web radio web tv tv
15:30 17:30 WEC Testes Colectivos 1
20:45 22:45 WEC Testes Colectivos 2
Sexta-Feira, 20 de Setembro
Início Fim Evento Sessão web radio web tv tv
15:15 16:45 WEC Treino Livre 1 Radio Le Mans WEC/ACO
21:25 22:45 WEC Treino Livre 2 Radio Le Mans WEC/ACO
Sábado, 21 de Setembro
Início Fim Evento Sessão web radio web tv tv
14:40 15:40 WEC Treino Livre 3 Radio Le Mans WEC/ACO
18:00 18:25 WEC Qualificação GTE Pro & GTE Am Radio Le Mans WEC/ACO
18:35 19:00 WEC Qualificação LMP1 & LMP2 Radio Le Mans WEC/ACO
Domingo, 22 de Setembro
Início Fim Evento Sessão web radio web tv tv
17:00 23:00 WEC Corrida Radio Le Mans WEC/ACO Motors TV/Eurosport

Links Úteis

Radio Le Mans live streaming (Web Radio) em www.radiolemans.com
WEC live timing e live streaming (Web TV) em live.fiawec.com
ACO live timing e live streaming (Web TV) em www.lemans-tv.com
Spotter Guide em www.spotterguides.com

Horários TV (Directos)

Motors TV Eurosport
16h50 → 23h40 16h45 → 18h00 E2
19h30 → 21h30 E2
21h30 → 23h00 EI