Em Destaque | Le Mans | Notícias | Portugueses | WEC

WEC / 24H Le Mans: Antevisão

Toda a Informação sobre as 24H Le Mans 2015: A antevisão da LMP1

por Pedro Correia, 13 de Junho de 2015 Sem Comentários

© Arnaud Cornilleau / ACO

Com os consumos a serem regulados, não se prevêem grandes novidades estratégicas para a corrida. Com a classe máxima de energia, os Porsche deverão cumprir 14 voltas com cada depósito de combustível, enquanto Audi e Toyota se deverão ficar pelas 13 voltas e a Nissan pelas 12 voltas. Já na gestão dos pneus, com o limite introduzido de 12 jogos de pneus para seco, para toda a corrida, obrigará as equipas a privilegiaram os triplos stint com os jogos de pneus para seco, com o aparecimento da chuva a poder dar alguma margem às equipas, não havendo limites para os pneus intermédios e de chuva.

Uma situação que se pode verificar é alguns carros optarem por fazer duplos stint apenas na fase inicial da corrida, confiando na melhoria das condições de aderência para fazer quádruplos stints e conpensar o uso excessivo de pneus inicial.

Triplo ou Quádruplo Stint?

Muitas vezes apontado como uma das bases das vitórias da Audi, o facto de serem capazes de fazer quádruplos ou até quíntuplos stints com o mesmo jogo de pneus, a realidade é que a vantagem ganha é diminuta, pois permitirá poupar três ou quatro trocas de pneus, ao longo de toda a corrida, perto de minuto e meio. No entanto, mais significativa é a mais valia das características técnicas do carro que permitem uma maior utilização dos pneus, pois os Audi R18 são cronicamente gentis para os pneumáticos, permitindo ganhar segundos importantes quando os rivais lutam com pneus que apresentam degradação mais prematura.

Trocas de Pneus Tempo Total
Quadruplo Stint 11 0:27 4:57
Triplo Stint 8 0:27 3:36
Diferença -1:21

13 ou 14 voltas por depósito?

Em oposição, a capacidade de espremer mais uma volta de cada depósito de combustível deverá permitir poupar duas paragens nas boxes ao longo da corrida, o que permitirá um ganho de quase 2 minutos, ou seja, superior a esticar a utilização de cada jogo de pneus por mais um stint.

Voltas Paragens Tempo Total
13 30 0:58 29:00
14 28 0:58 27:04
Diferença -1:56

Pode-se assim perceber que, entre as hipotéticas 14 voltas realizáveis pela Porsche e a suposta melhor utilização dos pneus da Audi e Toyota, há um grande equilíbrio nas estratégias.

Assim, deverão ter mais impacto o modo como serão geridas as paragens nas boxes em função de eventuais situações de Full Course Yellow e a maior ou menor apetência para rodar rápido aquando do aparecimento da chuva, assim como a capacidade de gerir os momentos de troca de tipo de pneus e selecção dos pneus mais adequados.

As diferenças dos treinos

Caso se mantivesse a relação de forças verificadas nos treinos, a diferenças entre construtores ao fim de 24 horas seriam muito significativas.

Marca Melhor Volta Diferença Extrapolação 379 voltas
Porsche 3:16.887
Audi 3:19.423 + 2.536 16:01.1 4 voltas
Toyota 3:23.361 + 6.474 40:53.6 12 voltas
Nissan 3:36.995 + 20.108 2:07:00.9 38 voltas

Mas não temos motivos para crer que tal deverá acontecer, uma vez que nem Audi nem Toyota desafiaram realmente a Porsche pela pole position, preferindo usar as sessões de qualificação para preparar convenientemente a corrida, ao ponto da Audi realizar o seu melhor tempo, pelas mãos de Filipe Albuquerque, durante o warm up e a Toyota ficou até bastante longe dos tempos de 2014, quando as duas provas já realizadas este ano revelaram melhorias significativas dos tempos do ano passado.

Marca Melhor Volta Diferença
2015 2014
Porsche 3:16.887 3:22.146 - 5.259
Audi 3:19.423 3:22.567 - 3.144
Toyota 3:23.361 3:21.789  1.572

Em corrida as diferenças deverão então ser bastante menores, mas não suficientes para a Toyota estar na discussão directa da corrida com os rivais germânicos.