Le Mans | Notícias | WEC

World Endurance Championship

Strakka Racing adia estreia do Dome S103 e anuncia ausência em Silverstone e Spa

por Hugo Ribeiro, 15 de Abril de 2014 Sem Comentários

© Strakka Racing

A Strakka Racing anunciou hoje a sua ausência nas 6 Horas de Silverstone, prova de abertura do Campeonato Mundial de Resistência, e nas 6 Horas de Spa. Falta de desenvolvimento do Strakka Dome S103 é o motivo apontado, com a equipa inglesa a preferir apostar em mais testes privados antes dos testes oficiais para as 24 Horas de Le Mans.

A Strakka Racing, que tantas vezes faz questão de salientar a sua raiz britânica, não irá marcar presenças nas 6 Horas de Silverstone, prova de abertura do Campeonato Mundial de Resistência (WEC), aquela que é a sua corrida caseira, ficando também de fora da segunda etapa, em Spa, no mês de Maio. A equipa inglesa, que já havia faltado ao teste oficial WEC depois de terem sido detectados alguns problemas de juventude no novíssimo Strakka Racing S103, e após os recentes três dias de testes privados em Paul Ricard — onde a equipa afirma ter rodado pouco — acaba por comunicar o adiamento da estreia do Strakka Dome S103.

 “Todos estão extremamente decepcionados por não estarem em Silverstone, particularmente após termos visto um pouco do que o carro é capaz,” afirma Nick Leventis. “A pista é a casa de todos os pilotos, e a oficina da Strakka é literalmente ao virar da esquina, pelo que estrear o carro aqui teria sido perfeito. No entanto, o carro simplesmente não está pronto para competir e precisamos de mais testes.”

Em causa está o pouco desenvolvimento do protótipo LMP2 construído pelo construtor independente nipónico DOME numa parceria com a Strakka Racing. A equipa inglesa, que entrou no projecto da DOME no final da temporada de 2013, sublinha que seis meses não são suficientes para realizar as alterações então propostas, a construção e o desenvolvimento do carro. Mas começam a surgir suspeitas de que o protótipo poderá ter problemas de concepção mais graves e o atraso poderá significar uma reformulação mais vasta do projecto inicial. Numa já triste grelha LMP2 "Mundialista", a ausência da Strakka será mais do que notada... mas poderá não ser a única ao longo da temporada.

“2014 continua a ser visto como o ano de desenvolvimento com vista a potenciais programas competição-cliente, pelo que queremos resolver todos os problemas e não trabalhar em torno deles. Não estaríamos a fazer justiça a todo o trabalho árduo da DOME e da Strakka Racing se competíssemos com o carro nesta fase de desenvolvimento,” continua Leventis. “A Strakka Racing não entra em atalhos e irá concentrar-se em testar e não em competir, de forma a conseguirmos a velocidade que sabemos que o S103 é capaz de atingir.”

A equipa sublinha ainda que a nova regra de limitação de motores por temporada (dois, no caso da Strakka, por não ter alinhado no teste oficial; três em situação normal) pesou também nesta decisão. O regresso está marcado para os testes oficiais para as 24 Horas de Le Mans,

Fonte: Comunicado de Imprensa da Strakka Racing