ELMS | Notícias | Portugueses

LMS / 3H Hungaroring

Signatech Alpine vence na Hungria e adia decisão do título para a última prova do ano

por Press Release (edição: Hugo Ribeiro), 15 de Setembro de 2013 Um Comentário

© DPPI

© DPPI

Uma vitória dominadora para o Alpine Nissan #36 da Signatech Alpine com Pierre Ragues e Nelson Panciatici, em condições atmosféricas adversas em Hungaroring, atirou a discussão pelo título de pilotos e equipas ELMS 2013 para Paul Ricard, daqui a duas semanas, num confronto com os actuais campeões, Pierre Thiriet e a Thiriet by TDS Racing. Panciatici viu a bandeira de xadrez após 99 voltas de prova, com 36s de vantagem sobre o Oreca Nissan #18 da Murphy Prototypes e Jonathan Hirschi e Brendon Hartley, que conquistaram o melhor resultado do ano para a equipa irlandesa depois de terem também conquistado a pole-position.

O Oreca FLMP09 #49 da Team Endurance Challenge, com Gary Hirsch e Paul Loup Chatin, conquistaram mais uma vitória na classe LMPC, terminando na 9ª posição da geral. No entanto, os seus companheiros de equipa do #48, Soheil Ayari e Anthony Pons, foram segundos mantendo a luta pelo título até à última corrida do ano,

O Porsche 911 GT3 RSR #77 da Proton Competiton, com Christian Ried, Nick Tandy e Klaus Bachler, venceram pela primeira vez este ano, com Bachler a cruzar a linha de chegada na 7ª posição da geral, 45s à frente dos atuais líderes da classe GTE, o Ferrari 458 Italia #52 de Johnny Mowlem e Matt Griffin da RAM Racing. Tal significa que Mowlem e Griffin mantêm uma vantagem de 23 pontos à partida para a última prova.

Na classe GTC, esta foi a vitória número três em apenas três corridas para o Ferrari 458 Italia GT3 #69 da SMP Racing, de Fabio Babini, Viktor Shaitar e Kirill Ladygin. A luta pelo titulo de pilotos e equipas GTC será também um dos pontos de interesse a seguir em Paul Ricard daqui a duas semanas.

Resumo

Após uma chuva torrencial durante a manhã, da qual saiu uma interessante grelha para as 3 Horas de Hungaroring, a pista encontrava-se ainda molhada mas em vias de secar quando os carros partiram para duas voltas de formação atrás do safety-car. Na largada, Jonathan Hirschi, no Oreca Nissan #18 da Murphy Prototypes, manteve o sangue frio e descreveu uma linha larga na primeira curva. O Oreca Nissan #37 da SMP Racing, de Maurizio Mediani, tentou passar por dentro e acabou por sair permitindo a Hirschi retomara liderança. Gary Hirsch, no Oreca FLM #49, fez um excelente arranque colocando-se na 4ª posição da geral, à frente de vários dos LMP2. O seu colega de equipa Soheil Ayari teve problemas com aderência perante as condições traiçoeiras, e fez dois piões na primeira volta mantendo no entanto o carro em pista.

Entretanto, Pierre Ragues, no Alpine Nissan, começa a subir na grelha desde a 3ª posição. Na segunda volta passava o carro da SMP Racing para o 2º lugar, e duas voltas depois ultrapassava o #18 da Murphy subindo à 1ª posição. O então líder do campeonato, Pierre Thiriet, passava por dificuldades após ter arrancado da 7ª posição. O carro ficou danificado numa colisão logo na volta de abertura, e o piloto francês foi obrigado a uma paragem para substituir o nariz do carro, o que o atirou para o fundo do pelotão de onde teve de iniciar uma longa recuperação.

Uma vez à frente, Pierre Ragues abriu um fosso para Hirschi e realizou repetidamente a volta mais rápida da corrida à medida que as trajectórias iam secando. Com a pista a secar, várias equipas foram à box para trocar de pneus para intermédio, mas com a pista molhada ainda em algumas partes, não era certa qual a melhor decisão. Na GTE, o Porsche #67 da IMSA Performance Matmut de Jean-Karl Vernay ia ganhando posições desde 0 17º lugar, e na 8ª volta seguia já na 6ª posição da geral à frente de Matt Griffin, no Ferrari #52 da RAM Racing.

Com o passar do tempo, Jonathan Hirschi, no Oreca da Murphy, começou a ser pressionado por Oliver Turvey, no Zytek da Jota Sport. O piloto inglês rapidamente se colocou em posição de atacar a 2ª posição, mas Hirschi ia conseguindo defender-se curva atrás de curva. E quando parecia que Turvey finalmente iria conseguir os seus intentos na curva 1, o Zytek #38 deslizou para fora da pista com um pneu traseiro furado, pelo que o teve de regressar lentamente à box ao longo de uma volta completa, permitindo a Hirschi ganhar fôlego. As escolhas de pneus mantinham-se difíceis, havendo já quem optasse por slicks, mas os ganhos eram marginais e várias carros iam realizando piões enquanto procuravam a melhor aderência.

Pela volta 42, o Ferrari #52 foi à box na 2ª posição entre os GTE, com Matt Griffin a passar o volante a Johnny Mowlem. Jean-Karl Vernay também entregava o seu carro a Patrice Milesi, que regressou à pista ainda na frente da classe. No entanto, este perdeu a posição quando teve de cumprir uma penalização de 1 minuto por exceder o limite de velocidade na linha de boxes. Mowlem também perdeu tempo com uma paragem forçada para substituir um espelho retrovisor. A JMW Motorsport, que havia conquistado a pole-postion, viu a prova terminar à volta 54 por problemas mecânicos.

Na 57ª volta, Ragues foi à box na liderança, passando o volante a Nelson Panciatici, e nas seguintes paragens, o francês construiu uma vantagem de 90s sobre Simon Dolan, que se encontrava então ao volante do Zytek Nissan #38 da Jota Sport, seguido de perto por Brendon Hartley no Oreca Nissan #18. O neozelandês rapidamente anulou a diferença de 30s pela volta 74 e reassumiu o 2º lugar.

Nick Tandy, agora ao volante do Porsche #77 da Proton Competition, subiu rapidamente por entre o pelotão, e no final do seu turno liderava a classe GTE com uma vantagem de 22s sobre o Porsche #75 da ProSpeed de Emmanuel Collard. Na GTC, os dois Ferrari da SMP Racing seguravam as 1ª e 2ª posições, mas com o BMW Z4 GT3 #79 da Ecurie Ecosse de Joe Twyman a rodar próximo. Tudo levava a crer que a equipa escocesa se preparava para conquistar outro pódio e manter o sonho do título vivo quando o desastre a atingiu numa colisão com o Ferrari #54 da AF Corse, com ambos os carros a terminarem nas barreiras da curva 12. Desta forma, os dois Ferrari russos ficaram a lutar apenas entre si pela vitória na classe, com Fabio Babini a ultrapassar Luca Persiani nos momentos finais da prova.

O Oreca Nissan da Boutsen Ginion de Alex Kapadia e Khaled Al Mudhaf rodava bem em condições traiçoeiras, mas Al Mudlaf acabaria por realizar vários piões, e apesar do kuwaitiano ter levado o carro até ao fim na 7ª posição, seria incapaz de reclamar os 6 pontos correspondentes por não ter realizado o mínimo de tempo ao volante. O Oreca Nissan da SMP Racing de Serguey Zlobin e Maurizio Mediani estava à entrada do pódio na 4ª posição, a uma volta de Christian Klien no Morgan Judd #43 da Morand Racing. Os dois carros enfrentavam o tráfego com a pista a secar reclamando respectivamente 12 e 10 pontos.

Quando o Alpine Nissan #36 da Signatech de Nelson Panciatici cruzou a linha de chegada pela 99ª vez, a bandeira de xadrez foi exibida dando por terminadas as 3 Horas de Hungaroring. Com este resultado, todas as discussões sobre os títulos ficarão adiados para a última prova, e com Pierre Thiriet, Pierre Ragues e Nelson Panciatici empatados com 73 pontos, tudo estará ainda em jogo em Le Castellet, a 26 de Setembro.

[table “593” not found /]

Comunicado de Imprensa ELMS