Notícias | Portugueses | WEC

World Endurance Championship

RAM Racing fecha portas — Álvaro Parente fora do Mundial de Resistência

por Hugo Ribeiro, 12 de Julho de 2014 Sem Comentários

© John Rourke - AdrenalMedia.com. Fonte: FIA WEC

Campeã ELMS no seu ano de estreia absoluto (como equipa de competição), a RAM Racing um ano depois acabaria por dar um passo maior que a passada numa aventura no WEC, e ontem, fechou portas. Álvaro Parente fica assim afastado do WEC, mas com um programa preenchido no Blancpain Endurance Series, a situação está longe de dramática.

A RAM Racing, equipa inglesa criada no final de 2012 e que em 2013 venceu o título GTE no European Le Mans Series, anunciou ontem o fim de toda a actividade desportiva da equipa com efeito imediato. A entrada de rompante no universo sportscar até augurava grande futuro para a formação criada por Dan Shufflebottom, mas um corte drástico no financiamento que a equipa esperava para a segunda metade da temporada, levou a equipa a simplesmente fechar portas.

“Após um difícil começo no Campeonato do Mundo de Resistência (WEC), com umas particularmente difíceis 24 Horas de Le Mans, a equipa britânica GTE RAM Racing planeava regressar à competição em Setembro, com renovada determinação e vigor,” afirmou a RAM Racing em comunicado de imprensa. “No entanto, uma recente notificação de um corte drástico no financiamento esperado para a segunda metade da temporada de 2014, significou que a equipa se viu forçada a retirar-se do WEC e de qualquer outra competição, com efeito imediato. Encontramo-nos a procurar emprego para a maioria dos empregados da equipa, que foram dispensados há duas semanas atrás.”

Em pouco mais de ano e meio, a RAM Racing alinhou em 10 corridas, conquistou duas pole-positions, subiu por três vezes ao lugar mais alto do pódio, e conquistou mais cinco pódios. A aventura "Mundialista" revelar-se-ia um passo maior que a passada para a equipa inglesa. Alinhar na classe GTE Pro, frente a equipas de fábrica, é algo que nãos e faz sem um orçamento forte. Mesmo que não esteja ao nível das suas rivais, espera-se pelo menos que garanta a participação em todas as provas. A equipa já havia falhado a prova de Spa, queixando-se na altura de custos de participação não esperados, o que é revelador de alguma impreparação. Seguiu-se um corte num orçamento que ainda não estava assegurado.