Le Mans | Notícias | USCC

United SportsCar Championship

Projecto LMP2 diesel da Mazda arranca… finalmente(!) — Regresso a Le Mans em perspectiva

por Hugo Ribeiro, 16 de Novembro de 2013 Sem Comentários

© Mazda

A Mazda colocou em marcha o projecto LMP2 Diesel que vem a preparar há mais de dois anos e deveria ter-se estreado nas 24 Horas de Le Mans de 2013 com a equipa de Patrick Dempsey. Depois de vários adiamentos, o projecto foi finalmente anunciado esta semana, envolvendo a participação oficial da marca nipónica no novo United SportsCar Championship (USCC) com dois carros. O regresso a Le Mans está em perspectiva... e poderá não se ficar pela LMP2.

Apresentado durante as 24 Horas de Le Mans 2012, o motor LMP2 diesel na Mazda já viu finalmente a luz do dia. Adiado por diversas vezes, levando a que o parceiro original da Mazda — a Dempsey Racing de Patrick Dempsey — acabasse mesmo por abandonar o projecto, o desenvolvimento do SKYACTIV-D, o motor diesel idealizado pela filial norte-americana da marca japonesa já testou no Canadá e mais recentemente em Sebring, onde foi feita a apresentação oficial.

O chassis escolhido foi nada mais, nada menos que o Lola B12/80, estando a equipa na posse de dois novos chassis já construídos pela Multimatic, que em 2012 foi licenciada pela Lola Group para a construção, desenvolvimento e comercialização dos protótipos do mítico construtor independente britânico. Segundo o site norte-americano Racer.com, há uma forte possibilidade dos chassis Lola serem homologados como Mazda.

“Este é o passo mais significativo dado pela Mazda no sentido de regressar ao palco mundial, após a nossa vitória à geral nas 24 Horas de Le Mans de 1991,” afirmou John Doonan, Director Desportivo da Mazda Motorsports. “E, graças às 9 vitórias em 12 corridas dos Mazda6 SKYACTIV-D na classe GX do Grand Am, e consequente Título de Construtores, estamos confiantes que os nossos dois protótipos irão estar à altura de desafiar o melhor que a América do Norte tem para oferecer.”

O planos da Mazda passam pela participação no USCC com dois carros, em colaboração com a SpeedSource Race Engineering — no que será uma equipa com apoio oficial — parceria de longa data da Mazda no Grand Am, e que tem estado envolvida no projecto de desenvolvimento deste motor. Os Mazda6 com que a SpeedSource ganhou o título GX no Grand Am em 2012, eram uma variante deste motor LMP2.

“Como piloto, queremos sempre estar na classe mais rápida,” afirmou Sylvain Tremblay, piloto e dono da SpeedSource. “O desenvolvimento do motor foi um grande desafio para a Mazda e para a SpeedSource, desafio que será ainda maior para o levar para os lugares da frente na classe de Protótipos naquele que será apenas o nosso segundo ano de competição. Iremos ter uns meses de Novembro e Dezembro muito atarefados com os testes e a preparação para as 24 Horas de Daytona.”

O comunicado de imprensa falta num projecto de grande ambição, mas para já a ambição fica-se mesmo pelo mercado norte-americano, onde a verdade é que, apesar do sucesso do Audi R10 TDi no ALMS, a tecnologia diesel diz pouco ou nada. De facto, se, por um lado, o orçamento para este projecto é limitado tenha levado a filial norte-americana a necessitar  de autorização da casa-mãe para avançar, o envolvimento desta no projecto é pouco ou nenhum; por outro lado, e depois dos sucessivos adiamentos, o ACO perdeu interesse no projecto e não há qualquer esboço de um regulamento que permita que um motor diesel possa ser usado na classe LMP2... nem há perspectivas que venha a existir nos próximos anos, porque foram várias as equipas que fizeram saber junto do ACO e da FIA que não queriam ver o problema das equivalências diesel/gasolina transposto para esta classe.

Em declarações publicadas no site da Autosport inglesa, Vincent Beaumesnil, Director Desportivo do ACO, não fecha de todo a porta mas também não a deixa lá muito aberta. “Decidimos que deveriam primeiro competir nos EUA por uma temporada, e depois logo se vê. Temos um bom equilíbrio na LMP2, com muitos carros, e todos estão contentes com as regras. Temos reservas quanto à potencial desestabilização da classe, porque temos de garantir que conseguimos controlar a performance do motor diesel. Por isso é que decidimos voltar atrás com a nossa decisão.”

Mas mesmo com uma recepção fria por parte do ACO, a vontade passa mesmo por ir a Le Mans em 2015, como Doonan confirmou em várias entrevistas, falando mesmo no site da FOX Sports que a Mazda pretende criar um programa competição-cliente global com o motor diesel para a classe LMP2. Aliás, essa terá sido uma das contrapartidas para o ok da casa-mãe. Mas no que toca ao eventual regresso a Le Mans, o mais interessante é que a Mazda poderá não se ficar por aqui. Também em entrevista à Autosport inglesa, Doonan afirma que “queremos regressar a Le Mans, e podemos dizer que estamos a seguir o mesmo caminho que fizemos anteriormente quando primeiro fomos com um carro da classe C Junior.”

Criada em 1983, a classe C Junior pretendia ser uma plataforma de baixo custo, destinada a equipas privas e pequenos construtores, algo muito parecido com a actual LMP2. Quererá Doonan dizer com isto, "aceitem o nosso motor diesel na LMP2 e nós avançamos para a LMP1"? A ver vamos...

Fontes: Comunicado de Imprença da Mazda, foxsports.com e Autosport.com