Notícias | Portugueses | USCC

United Sportscar Championship

O que esperar em 2015: United SportsCar Championship

por Andrew Remedios, 21 de Janeiro de 2015 Sem Comentários

© IMSA

A menos de um dia do arranque da temporada 2015 do United Sportscar Championship, e uma semana e meia depois dos testes oficiais para as 24 horas de Daytona, chegou a altura de fazer uma antevisão. Este ano, para além de haver um campeão em título português, que dá pelo nome de João Barbosa, haverá outros interesses lusitanos com o regresso de Pedro Lamy à GTLM e a presença de Rui Águas na classe GTD, pelo menos em Daytona.

Como referimos no artigo de abertura da época, o United SportsCar Championship (USCC) conta com dois tipos de competições em quatro classes e ainda duas taças bastante específicas. Em primeiro lugar, há o campeonato geral que engloba todas as provas — o USCC propriamente dito —, depois o North American Endurance Cup (NAEC) que engloba as quatro provas mais longas do calendário (Daytona, Sebring, Watkins Glen e Petit Le Mans), e, finalmente, as duas taças para pilotos amadores: Taça Trueman em Protótipos e Taça Akin em GTLM. Esta estrutura, e o maior prestígio de algumas provas, influencia bastante o investimento e inscrição de muitas das equipas que veremos nesta antevisão. Focaremos principalmente as duas categorias principais do campeonato, os protótipos e GTLM.

PROTÓTIPOS

Action Express Racing: O destaque vai sem dúvida para João Barbosa e para a equipa Action Express Racing. Em 2014, o piloto portuense e o brasileiro Christian Fittipaldi venceram todos os troféus em disputa no USCC, à excepção dos destinados a gentlemen-drivers: o Título de Pilotos TUSCC e NAEC, assim como o Título de Equipas, e deram um fundamental contributo para o Título de Construtores da Chevrolet... também no TUSCC e NAEC. Será um enorme desafio para a dupla luso-brasileira repetir o feito em 2015. Em Daytona terão a companhia do seu companheiro de sempre nas corridas de longa distância do NAEC, o francês Sébastien Bourdais. Foi precisamente o francês que fez o melhor tempo no Corvette DP#5 no treinos conjuntos, tendo obtido o 2º melhor dos treinos. A Action Express será mais uma vez uma das grandes candidatas ao título e desde logo ao triunfo nas 24 horas de Daytona. Para este ano, fruto da junção com a Whelan Engineering, a equipa contará com dois carros a tempo inteiro, com Eric Curran e o campeão GTD de 2014, Dane Cameron, a fazerem dupla no Corvette DP #31.

O Corvette DP teve algumas modificações, sobretudo de carácter estilístico, durante o inverno. Com o intuito de aproximar ainda mais o aspecto do chassis ao novo Corvette C7 Stingray de produção, a área frontal foi bastante alterada, especialmente no capô, faróis dianteiros e radiador. Na parte traseira a modificação mais significativa foi nos faróis, que ficaram mais parecidos com o C7.

Wayne Taylor Racing: Outros dos grandes candidatos, é mais uma equipa a alinhar com um Corvette DP. O #10 será mais uma vez conduzido pelos irmãos Taylor, Jordan e Ricky, contando para Daytona com o habitual Max Angelelli, mas este ano já sem o pai Taylor a juntar-se à festa. A família Taylor quererá a desforra depois de ficarem atrás de Barbosa e Fittipaldi em 2014 e este ano começaram bem, com o melhor tempo no 'Rugido'. No ano passado, a Action Express Racing foi mais rápida nos testes e venceu as 24 horas. Será agora a vez dos irmão Taylor?

Spirit of Daytona Racing: O quarto e último Corvette DP inscrito no campeonato é o agora denominado VisitFlorida.com Racing e conta também com o mesmo alinhamento de 2014, com Michael Valiante e Richard Westbrook. A dupla foi 3ª no campeonato no ano passado e conta com Mike Rockenfeller outra vez como terceiro piloto em Daytona no DP #90.

Chip Ganassi Racing: Depois de uma época algo atribulada, a equipa regressa com um novo alinhamento e com mais energia para os microfones nas boxes! Memo Rojas deixou a formação, tal como o patrocínio da Tecate, e para o seu lugar entrou Joey Hand, ex-piloto oficial da BMW e que esteve no DTM em 2014, com o piloto norte-americano a dar boa conta de si nos testes conjuntos — sendo o mais rápido no primeiro dia de treinos. O Riley DP Ford EcoBoost #01 da dupla Hand/Scott Pruett não contará este ano com o apoio de Marino Franchitti em Daytona, mas Pruett e Hand terão como companheiros Sage Karam e Charlie Kimball. O segundo Riley da Chip Ganassi Racing participará, em princípio apenas em Daytona, com o Riley Ford #02 a ser constituído pelos pilotos da Ganassi na Indy Car — Scott Dixon e Tony Kanaan — e NASCAR — Kyle Larson e Jamie McMurry.

Michael Shank Racing: Passando agora para os P2, no ano passado a Oak Racing foi o melhor representante dos protótipos de Le Mans, mas deixou os circuitos norte-americanos para dar lugar aos seus clientes, entre os quais, desde logo, a Michael Shank Racing. Depois de ter competido com um Riley DP Ford EcoBoost, a equipa decidiu passar para os P2, com o Ligier JS P2 da Onroak Automotive. A Oak Racing participou nas últimas provas de 2014 com esse mesmo chassis e deu boa conta de si ao ponto de motivar uma equipa a trocar um DP pelo P2. A Michael Shank Racing participará com mesmo elenco de 2014 — Oswaldo Negri Jr. e John Pew — no Ligier #60, com motor Honda, e nos testes conjuntos revelaram-se como os melhores P2, e bastante próximos dos DP com o terceiro melhor tempo realizado por Negri. Para Daytona a formação contará outra vez com A.J. Almendinger e, como novidade, o mais jovem piloto a competir em Le Mans (16 anos em 2014) Matt McMurry.

Speed Source Mazda: A equipa SpeedSource/Mazda Motorsports entra no segundo ano do seu projecto com motores diesel. Depois de um primeiro ano muito sofrido, e muito longe dos primeiros, a equipa chegou aos testes conjuntos e colocou-se a 3 segundos dos melhores DP. O Mazda SkyActiv-D melhorou em 6 segundos desde o ano passado, em Daytona, e em termos de velocidade, de 32 km/h!! Jonathan Bomarito é a grande novidade da equipa, regressando após ter saído da Mazda para se juntar à equipa oficial da SRT Viper. Bomarito terminou 2014 no 2º lugar na GTLM e viu a SRT fechar as portas logo depois. Tristan Nuñez será o seu colega no Mazda #70, enquanto Joel Miller e Tom Long serão a dupla do Mazda #07.

Outros P2: Referência ainda para duas outras equipas P2 que não farão a época inteira, fruto do seu investimento além-fronteiras: ESM e Krohn Racing. A Extreme Speed Motorsports decidiu investir no WEC com o objectivo de correr em Le Mans, e este ano participará com os seus dois novos HPD ARX-04b no Mundial de Resistência, incluindo Le Mans. Por esse motivo, a participação da formação de Ed Brown e Scott Sharp limitar-se-á às quatro provas do NAEC. Por seu lado, a Krohn Racing trocou este ano os GTs pelos Protótipos, e também Tracy Krohn anda com os olhos em Le Mans, tendo-se inscrito no European Le Mans Series. Depois de algumas experiências com os DP há uns anos, Krohn decidiu investir no Ligier JS P2 da Onroak, mas ao contrário de Michael Shank, com motor Judd. O já habitual #57 estará presente apenas em Daytona e Sebring com o intuito de rodar o novo carro em preparação para o ELMS e Le Mans e contará, entre outros, com dois dos pilotos responsáveis pelo desenvolvimento do Ligier, Olivier Pla e Alex Brundle.

DeltaWing: O protótipo mais leve de todos entra em 2015 com os ânimos em alta depois depois de terminar em 4º lugar em Petit Le Mans, e ter feito tempos muito animadores nos treinos conjuntos, onde foi o 6º melhor e fez algumas das melhores velocidades máximas dos treinos. Memo Rojas vem da Ganassi e fará dupla com a ‘veterana’ Katherine Legge, com Gabby Chaves e Andy Meyrick a juntarem-se a eles em Daytona. Como Chaves procura um lugar na IndyCar e Meyrick é piloto-oficial da Bentley, não é ainda certo quem serão os pilotos nas restantes provas do NAEC.

Outros: A RG Racing é a única novidade da temporada. A equipa do neurocirurgião Robert Gewirtz adquiriu o Riley DP Dinan (BMW) da Michael Shank e pretende fazer toda a temporada do USCC, mas até ao momento apenas confirmou Daytona. A equipa Fifty Plus inscreve também um Riley DP Dinan (BMW) com o apoio da Doran Racing e um conjunto de pilotos com mais de 50 anos liderado por Brian Johnson dos AC/DC, mas com um propósito bem interessante: angariar fundos para a investigação sobre a doença de Alzheimer. Finalmente, a Starworks Motorsport inscreve mais um Riley DP Dinan (BMW) depois do projecto DP da Honda ter sido encerrado... definitivamente. Para já a equipa de Peter Baron confirmou a presença em Daytona e em Sebring, mas também espera participar em mais provas. A equipa conta com um elenco de luxo para as 24 Horas de Daytona, que poderá dar que falar: o ex-piloto de F1 Rubens Barrichello, o piloto-oficial Porsche no WEC Brendon Hartley e o vencedor da Indy 500 em 2014, Ryan Hunter-Reay.

GT Le Mans

Com os campeões em título, a SRT Viper, a fecharem o seu programa inesperadamente logo após a conclusão da temporada, a categoria perdeu um forte candidato e dois carros. Para compensar, há uma espécie de semi-regresso da Aston Martin Racing, com o português Pedro Lamy ao volante para as provas do NAEC.

Porsche North America: Os campeões do NAEC e de marcas do USCC regressam para o seu segundo ano de aliança com a  CORE Autosport, e com algumas trocas de pilotos. Jörg Bergmeister regressa depois de ter conquistado cinco títulos, então com a Flying Lizards, para se juntar ao mais recente piloto-oficial da Porsche, o neozelandês Earl Bamber que teve uma estreia espectacular em Petit Le Mans quando substituiu o lesionado Richard Lietz. Esta dupla substitui Patrick Long e Michael Christensen no Porsche 911 RSR #912 campeão do NAEC. No #911, Nick Tandy transita de 2014, passando a fazer dupla com Patrick Pilet que troca de lugar com Lietz, com o austríaco a mudar-se na integra para o WEC. Para Daytona, o #911 contará com Marc Lieb e o #912 com Fred Makowiecki, formando dois conjuntos fortes de candidatos à vitória especialmente depois de terem liderado, por meio de Bamber, os tempos nos treinos conjuntos.

Corvette Racing: Depois de iniciarem 2014 milhas à frente de todo o plantel, o BoP empurrou-os para trás. Entram em 2015 com o mesmo elenco, salvo em relação ao terceiro piloto no Corvette C7.R #4 para Daytona, com Simon Pagenaud a competir pela primeira vez com a marca americana. Depois de ter alinhado em protótipos com a ESM e a Sahlen, o francês estreia-se nas classes GT, estando já garantido para Daytona e Sebring. Se os seus compromissos na IndyCar permitirem, talvez o vejamos mais vezes.

BMW Team RLL: A equipa de Bobby Rahal chega a 2015 com dois novos BMW Z4 GTE e dois novos pilotos. Lucas Luhr fará equipa com John Edwards no BMW #24 em substitução de Dirk Müller. Luhr já competiu com a BMW em Nurburgring e em Spa, depois da Pickett Racing ter fechado as portas. No BMW #25, Dirk Werner regressa ao Team RLL após quatro anos de ausência para se juntar a Bill Auberlen. O alemão substitui Andy Priaulx que rumou ao ELMS (assim como um dos Z4 de 2014) para o projecto BMW da MarcVDS. Os pilotos para o NAEC não estão ainda totalmente definidos, estando confirmados apenas os elencos para Daytona, que contam com dois pilotos do DTM (Spengler e Farfus), outro piloto da casa, Klingmann, e o filho de Bobby Rahal, Graham Rahal.

Outros: A Risi Competizione afinal continua em 2015, mesmo depois de Giuseppe Risi ter ameaçado bater a porta devido a alguns desacordos com a IMSA em relação ao BoP e a decisões de comissários. Giancarlo Fisichella e Pierre Kaffer voltam a fazer equipa no Ferrari 458 Italia #62 após uma época em que venceram duas vezes. O Porsche 911 da Team Falken Tire regressa com novo alinhamento, contando com Patrick Long para as provas mais longas do calendário (Daytona, Sebring e Petit Le Mans). A Aston Martin Racing decidiu à última da hora competir no NAEC, com Pedro Lamy e Paul Dalla Lana confirmados para já. O português foi um dos pilotos mais rápidos na GTLM nos testes conjuntos, e com dois pilotos oficiais no elenco para Daytona, o Aston Martin Vantage #98 poderá rodar na frente. Finalmente, os campeões da GTE PRO no WEC, Gianmaria Bruni e Toni Vilander e a AF Corse, irão competir em Daytona e Sebring com o objectivo de preparar a época e - nas palavras de Bruni... - ganhar.

Embora não nos debrucemos sobre a classe GTD (assim como sobre a PC), dizer apenas Rui Águas será o representante lusitano nos GT Daytona, pelo menos nas 24 Horas de Daytona, assim como Filipe Albuquerque na classe PC. O português nascido em Moçambique faz parte do elenco do Ferrari 458 Italia #49 da AF Corse, tendo sido o mais rápido da equipa nos testes conjuntos, e terá sido chamado para substituir Alessandro Pier Guidi. A categoria GTD conta com 19 carros, o maior contingente da grelha, e é muito competitiva, pelo que se antevê uma batalha de gigantes para Rui Águas e para a AF Corse depois de terem obtido o 11º melhor tempo.

Quanto a Albuquerque, a chamada para Daytona também foi para substituir um piloto. O piloto oficial da Audi irá estar no Oreca FLM09 da Starworks Motorsport (equipa que conta também com os mecânicos portugueses Paulo Santiago e Guilherme de Castro), e chega a Daytona sem ter rodado uma única volta que seja com o protótipo. A equipa está entre as favoritas na classe, e Albuquerque será uma adição que irá ainda aumentar mais as possibilidades de sucesso.

As 24 horas de Daytona arrancam com os primeiros treinos na quinta-feira, dia 22. A MotorsTV emitirá a corrida em duas ligações no sábado e domingo, ao mesmo tempo que a IMSA.com oferecerá live streaming de toda a corrida para a audiência fora dos Estados Unidos. O que já está confirmadíssimo é que a Radio Le Mans e o grupo de John Hindhaugh estarão de volta às antenas, substituindo a MRN como a voz de rádio e do streaming para 2015 na nova IMSA Radio. Quanto a nós, cá estaremos para explicar o que aconteceu de essencial após cada prova do USCC de 2015, sempre com o enfoque nos pilotos portugueses.