GT / Protótipos | Notícias

Nürburgring pode ser vendida a investidores americanos

por Andrew Remedios, 10 de Março de 2014 2 Comentários

Fonte: savethering.org

Fonte: savethering.org

Esta semana surgiram notícias de que o circuito da Nürburgring terá encontrado, finalmente, um comprador disposto a pagar o preço mínimo de venda do complexo... mas nem todas as notícias são boas notícias.

Segundo a Reuters e a publicação de negócios alemã Wirtschaftswoche, uma oferta entre 60 e 70 milhões de euros foi apresentada por um consórcio de investidores liderados pelo grupo H.I.G. Capital, uma empresa de private equity sediada em Miami, Florida. Apesar de não serem os 100 milhões de euros desejados pela dministração de insolvência liderada por Jens Lieser, a oferta terá sido mesmo objecto de um adiantamento de 3 milhões de euros. O negócio abrange o circuito (GP e Nordschleife), o parque de diversões, os hóteis e o centro comercial. Entre os membros do consórcio conta-se Myerick Cox, envolvido na venda da Volvo à China, e Markus Graf Deynhausen-Sierstorpff, dono do circuito e resort de Bilster Berg.

Aparentemente, a HIG já entregou os documentos ao Ministério de Assuntos Económicos Alemão, o Bundeskartellamt, mas o negócio só deverá ser finalizado em meados deste mês.

A notícia já foi comentada indirectamente pelo conhecido Mike Frison, o homem por trás do movimento “Save The Ring”, que publicou no seu site 20832.com um artigo apresentado 10 razões contra a venda do circuito a entidades privadas:

  1. Propriedade pública torna-se propriedade privada – nos 90 anos de história de Nürburgring o local tem sido sempre gerido por fundos públicos;
  2. Sem fins lucrativos vs. com fins lucrativos – com uma típica empresa sem fins lucrativos com gestão pública, Nürburgring nunca foi obrigado a gerar lucros. A má gestão provocou os prejuízos mas o modelo permitia a manutenção de investimentos dos fundos recebidos. Se passar a ser uma empresa privada, será necessário satisfazer os interesses dos investidores. Para isso ser possível, ou os preços aumentos ou os custos com manutenção terão que baixar, ou ambos.
  3. Empresa pública vs. empresa privada – localizado no meio de uma floresta, um recurso natural, e com pelo menos quatro vilas no miolo do circuito, uma gestão pública facilita a comunicação entre as diferentes entidades estatais. Em mãos privadas não só essa comunicação será mais complexa como os conflitos serão mais frequentes, nomeadamente sobre o ambiente e até a poluição sonora, algo que já acontece agora.
  4. Benefício para a região vs. benefício para a empresa – durante a administração de Richter e Lindner entre Maio de 2010 e Novembro 2012 tivemos um exemplo do que poderia acontecer aos pequenos negócios num Nürburgring com gestão privada: a pouco e pouco todos os servícos estabelecidos durante décadas foram absorvidos por eles e com esse poder obrigaram os clientes a aceitar os aumentos de preços. E nesse caso a administração tinha apenas um contrato de aluguer. Já há muitas lojas fechadas em Adenau neste momento.
  5. 'Passeios turísticos' – é um assunto muito sensível porque apesar de todos acharem que ninguém mexeria num negócio tão lucrativo, sob a administração de Richter e Lindner os limites de trâfego foram levados ao máximo, ignorando os riscos envolvidos. E o interesse deles era temporário. Não há nenhum circuito que ofereça aquilo que Nürburgring oferece neste momento, e da forma que oferece. Normalmente, os preços são tão elevados que só um reduzido número de pessoas podem usufruir disso, diminuindo o esforço exigido ao circuito e garantindo um lucro fácil.
  6. Desportos motorizados a nível das bases – é isso que o Nürburgring é, uma sucessão de 'passeios turísticos' através do GLP, RCN e VLN até à grande corrida de 24 horas. As corridas já estão em risco devido à escalada de preços nos últimos anos.
  7. Património – a herança cultural do Nordschleife deveria ser preservada para as futuras gerações. Em mãos privadas, o público em geral perde o seu voto e o novo dono poderá alterar tudo.
  8. Irreversível – quando a venda estiver fechada, já não há volta a dar. Não há necessidade do Estado agir de forma tão rápida. A administração de insolvência diz que tem lucros, por isso, por que não preservar a Nürburgring GmbH (empresa que gere o circuito neste momento) em vez de vender o mais rápido possível?
  9. Comissão Europeia – a própria administração de insolvência afirmou que o negócio só será concluído depois da investigação aos apoios públicos realizada pela Comissão Europeia estar terminada. Sendo assim, porque não aproveitar esse tempo para analisar bem todas as opções e encontrar a solução que serve a todos?
  10. Ja-zum-Nürburgring com Otto Flimm – o presidente honorário da ADAC, clube automóvel alemã0 que também organiza muitas provas nacionais e internacionais, Otto Flimm, já afirmou que irá contestar a venda no Tribunal de Justiça da União Europeia.

Para Mike Frison, e talvez para a maior parte dos amantes do circuito, a solução mais viável seria: uma operação sem fins lucrativos para os circuitos, a venda dos hóteis e do parque de diversões a quem paga mais, permitindo a todos continuar a usufruir do Ring e do Inferno Verde no futuro.

Por outro lado, o site Piston Heads falou com Myerick Cox e este avançou que nos planos do consórcio estão um investimento de 25 milhões de euros no Nordschleife e um plano de negócio baseado em 'acesso aberto', corridas e a indústria automóvel. Também propõem a total cobertura do Nordschleife por câmaras e ainda transponders para todos os carros, o que irá permitir regular melhor o ruído e facilitar a identificação de carros parados em pista. Myerick já participou em 18 corridas de 24 horas e já aproveitou muitas vezes as sessões públicas no Nordschleife, tendo uma casa na área e ainda apoia o programa Mission Motorsport, uma associação de caridade que apoia veteranos de guerra dando-lhes oportunidades no mundo dos desportos motorizados.

A verdade é que sendo a H.I.G. Capital uma empresa de investidores de capital de risco, que muitas vezes visa o lucro fácil - e mesmo com alguém envolvido que é interessado em desportos motorizados -, o futuro não deixa de continuar a parece algo incerto. A ver vamos o que vai acontecer nos próximos capítulos, mas uma coisa é certa: o VLN, o campeonato que apoio as 24 horas de Nürburgring, vai iniciar a sua época este mês e a corrida de 24 horas será em Junho, uma semana depois das 24 horas de Le Mans.