Notícias | USCC

United SportsCar Championship

IMSA faz alterações ao BoP após Daytona, mas mais mexidas poderão estar a caminho…

por Andrew Remedios, 2 de Março de 2014 Sem Comentários

© Rolex / Stephan Cooper

© Rolex / Stephan Cooper

Após as 24 horas de Daytona, e antes dos testes de inverno em Sebring a meio de Fevereiro, a IMSA introduziu algumas alterações ao Balanço de Desempenho (Balance of Performance ou simplesmente BoP) do USCC. Mas já depois dos testes oficiais para as 12 Horas de Sebring, ficou no ar de que mais mexidas poderão estar a caminho.

Protótipos

Os P2 com motor a gasolina viram o seu depósito de combustível aumentado em 3 litros — de 72 a 75 — e o abastecimento será ligeiramente mais rápido, com o aumento de 1 mm no restritor do caudal de combustível no equipamento de abastecimento (de 32 mm para 33). Algumas alterações estão em análise para os DP, nomeadamente o tamanho dos restritores de ar e os níveis de impulso turbo dos Ford 3.5L Turbo.

PC

A regra imposta para as 24 horas de Daytona para a asa traseira (um ângulo mínimo) para reduzir a velocidade máxima e evitar a utilização excessiva dos motores foi retirada.

GTLM

Houve bastantes alterações na categoria GTLM, principalmente na capacidade de depósito e no peso mínimo. Vejamos na tabela seguinte todas as alterações:

Carro Capacidade de Depósito Peso Mínimo
Antes Depois Dif. Antes Depois Dif.
Porsche 911 RSR 110l 100l -10l 1225kg 1225kg 0kg
BMW Z4 GTE 110l 100l -10l 1230kg 1245kg +30kg
Ferrari 458 Italia 110l 94l -16l 1230kg 1230kg 0kg
Corvette C7.R 110l 103l -7l 1245kg 1245kg 0kg
SRT Viper GTS-R 120l 105l -15l 1235kg 1250kg +15kg
Aston Martin Vantage 90l 87l -3l 1225kg 1205kg -20kg

Para além das alterações acima, o Viper viu o seu restritor de ar baixar em o.3mm, ao passo que o Aston Martin Vantage foi aumentado em 0.3mm.

Na categoria GT Daytona houve também bastantes alterações às capacidades de depósito e ao tamanho das asas traseiras, para além de algumas alterações adicionais aos Ferrari F458 e Audi R8 LMS, dominadores em Daytona.

Estas alterações, e as das classes GTLM e PC, parecem indicar uma vontade da IMSA em afastar os GTs dos PCs, que andaram muito misturados em Daytona, especialmente os GTLM, que terminaram à frente dos PC na classificação final. Para conseguir isso, a IMSA vai tentar aumentar a velocidade dos PC e obrigar os GTs a parar mais vezes nas boxes.

Entre os Protótipos de topo, os DPs tinham uma ligeira vantagem em Daytona que a IMSA vai tentar corrigir dando mais depósito e mais restritor aos P2, ao mesmo tempo que tenta encontrar a melhor maneira de corrigir os DP.

O que vimos nos testes de inverno de Sebring foi uma ligeira aproximação dos P2, com o Morgan Nissan da OAK Racing a terminar com o segundo melhor tempo a o.700 segundos do Corvette DP #5 da Action Express Racing, do piloto português João Barbosa. Os protótipos classificados entre segundo e nono ficaram separados por menos de 8 décimos de segundo. Já os GTLM e GTD ficaram bastante mais atrás dos PC, o que mostra que as alterações nos PC e nos GTs parecem ter surtido efeito, faltando saber qual será em Sebring o efeito das alterações ao depósito de combustível.

Após os testes, sabe-se que a IMSA continua a analisar se mais alterações são necessários, tendo, inclusive, sido previamente enviados exemplos dos motores de protótipos Ford, Chevrolet e Honda para verificar novas dimensões de restritores, segundo apurou o site sportscar365.com.

Scot Elkins, vice-presidente do IMSA para os regulamentos de competição e técnicos, adiantou àquele site norte-americano que apesar da grande vantagem da Action Express nos testes, “Sebastien Bourdais certamente conhece muito bem Sebring e a Action Express testou muito em Novembro. Isso deu-lhes uma vantagem sobre os restantes. Estão muito mais próximos do que estavam, mas ainda não é o suficiente. Ainda temos algum trabalho pela frente.”

Elkins espera que o trabalho realizado pela IMSA desde meados de 2013 até Sebring para equilibrar DPs e P2s possa dar frutos, esperando que “para Long Beach e Laguna Seca o pacote que definirmos para Sebring possa ser mantida por algumas provas.”