Notícias | USCC

United SportsCar Championship

IMSA apresenta calendário de 2015 e estrutura de classes até 2016

por Andrew Remedios, 15 de Agosto de 2014 Sem Comentários

© Rolex / Stephan Cooper

Nos dias que antecederam a prova de Road America do United SportsCar Championship (USCC), a entidade reguladora — a IMSA — apresentou duas notícias importantes para o paddock do campeonato: o calendário de 2015 e a estrutura de classes até 2016.

CALENDÁRIO 2015

No próximo ano a USCC terá menos um evento que este ano, passando de treze a doze eventos. Dois circuitos, Kansas e Indianapolis, deixam de figurar na lista para 2015, enquanto Lime Rock Park, no Connecticut, local habitual nos calendários do ALMS, regressa depois de receber este ano uma corrida do Continental Tire Sportscar Challenge. Indianapolis é um perda considerável, dado todo o historial e mitologia que envolve esta oval norte-americana, mas já a prova do Kansas, que contava apenas para a classe PC, foi retirada a pedido das equipas.

Cada uma das categorias do USCC compete em dez corridas, menos uma que em 2014, um pedido formulado por parte das equipas envolvidas no campeonato. Para o CEO da IMSA Ed Bennett, “este é simplesmente um calendário espectacular e emocionante para os fãs de sportscars na América do Norte. Nós queríamos fazer elevar ainda mais o calendário já muito impressionante de 2014, e alcançámos esse objectivo com a inclusão de Lime Rock Park por demanda pública. Mudar para dez corridas por categoria responde a um desejo e contributo positivos de muitos dos nossos competidores. Um dos componentes mais importantes para os nossos stakeholders é o facto de todas as doze corridas serem transmitidas pela FOX Sports no Estados Unidos.” 

Segundo algumas fontes, o USCC fez disparar os orçamentos, quer das equipas do antigo Grand-Am, quer das equipas do antigo ALMS. No caso deste último, o aumento chegar a ser de 50%(!!!). Lembramos que, ainda recentemente, Paul Gentilozzi da RSR Racing afirmava que com um acrescento de 2 milhões de dólares a um orçamento de 10 milhões de dólares para o USCC na classe PC, era possível fazer o WEC na classe LMP2.

A Taça Norte-Americana de Resistência, ou North American Endurance Cup (NAEC), permanecerá intacta no próximo ano, com os mesmos eventos: as 24 horas de Daytona em Janeiro, as 12 horas de Sebring em Março, as 6 horas de Watkins Glen em Junho e o encerramento da temporada, em Outubro, com Petit Le Mans. Nestas provas, as quatro classes entram em pista simultaneamente, tal como em Road America e no Circuit of The Americas.

Para além da inclusão de Lime Rock Park, onde competirão as classes Prototype Challenge (PC) e GT Daytona (GTD), a prova no Canadian Tire Motorsports Park, em Mosport, Canadá, passará a contar com a PC em vez da GTD, juntamente com os Protótipos (P) e os GT Le Mans (GTLM). Na prova de Laguna Seca, ambas as classes competirão no mesmo dia mas em corridas separadas entre P/GTLM e PC/GTD,

Scott Atherton, Director Operacional da IMSA, acrescentou que “quando decidimos lançar o primeiro calendário da USCC quisemos ter um calendário que incluísse as provas mais emblemáticas de endurance, pistas histórias e circuitos citadinos em grandes centros da América do Norte. Confirmámos todos esses elementos mais uma vez no calendário de 2015, ao mesmo tempo que acrescentámos mais um local destacado em Lime Rock Park. Este é um calendário que acreditamos que será bem recebido pela indústria e pelos fãs por todo o mundo.”

Todos as outras provas — Long Beach, Detroit e Virginia — mantêm o formato de 2014. A IMSA teve ainda o cuidado de preservar o interesse das equipas americanas em participarem nas 24 Horas de Le Mans, mas não de todas: a prova de Detroit, que terá lugar um dia antes do teste oficial para Le Mans, não conta com a classe GTLM (Corvette e Viper são esperadas em Le Mans), mas coloca as equipas que competem com carros homologados para a LMP2 entre a espada e a parede: a prova seguinte terá lugar apenas duas semanas após Le Mans.

Eis o calendário completo

Data Evento Circuito Classes
24-25 Janeiro 24H Daytona Daytona International Speedway Todas +NAEC
21 Março 12H Sebring Sebring International Raceway Todas +NAEC
April 18 GP Long Beach Long Beach Street Circuit P/GTLM
3 Maio Laguna Seca Mazda Raceway Laguna Seca P/GTLM + PC/GTD
30 Maio Detroit Belle Isle P/GTD
28 Junho 6H Watkins Glen Watkins Glen International Todas +NAEC
12 Julho Mosport Canadian Tire Motorsport Park P/PC/GTLM
25 Julho Lime Rock Lime Rock Park PC/GTD
9 Agosto Road America Road America Todas
23 Agosto VIR Virginia International Raceway PC/GTLM/GTD
19 Setembro Lone Star Le Mans Circuit of The Americas Todas
3 Outubro Petit Le Mans Road Atlanta Todas +NAEC

ESTRUTURA DE CLASSES 2015-2016

Um par de dias antes da divulgação do calendário de 2015, a IMSA apresentou outra decisão de peso para o campeonato, com a confirmação da estrutura e das especificações das quatro classes da USCC até ao final da época de 2016.

Para o Vice-Presidente para os regulamentos competitivos e técnicos da IMSA, Scott Elkins, “é importante para todos os nossos stakeholders ter um claro entendimento da direcção da USCC em termos técnicos, que agora estabelecemos até 2016. Esta decisão vai permitir às nossas marcas construir carros de corrida com essas especificações e prazos, permitindo aos nossos competidores tomar decisões de investimento bem formadas para o futuro.”

Olhando para cada categoria, a estrutura do USCC começa com a classe rainha dos Protótipos que contará com os mesmos três tipos de carros: Daytona Prototypes, carros construídos de acordo com as regras LMP2 do ACO, e o DeltaWing. No outono de 2013, representantes da IMSA, ACO e FIA acordaram manter esses regulamentos até 2016. Um novo formato unificado e global de Protótipos para as três entidades será introduzido em 2017 e vigorará também três anos até 2019. Em termos de pilotos, a classe de Protótipos continuará a ser mais vocacionada para conjuntos totalmente profissionais, embora sejam permitidos quaisquer outros conjuntos.

Nos GT Le Mans (GTLM), a classe continuará a seguir as especificações GTE da ACO. Novas especificações técnicas serão introduzidas para a época de 2016 com o objectivo de se manter por três anos até 2018. Tal como nos protótipos, a GTLM será predominantemente constituída por conjuntos de pilotos profissionais e nalguns casos equipas de fábrica (como Corvette, SRT Viper, BMW e Porsche).

Em Prototype Challenge, a combinação de chassis e motor monomarca ORECA FLM09/Chevrolet manterá-se-á até 2016. As equipas deverão continuar a incluir uma mistura de pilotos profissionais com amadores. A partir de 2017, a categoria será avaliada tendo em conta os desenvolvimentos e custos do novo projecto LMP3.

Finalmente, foi para a categoria GT Daytona que a maior mudança foi anunciada. Em 2015 a categoria continuará como está, com regulamentos específicos autónomos da FIA — algo que tem sido criticado por algumas equipas, já que os mesmo GT3 na Europa são obrigados a grandes alterações para poderem correr no USCC, como foi o caso do Audi R8 Ultra. A Pirelli World Challenge da entidade rival SCCA admite desde 2013 GT3 em formato FIA, tendo este ano cativado, entre outros, a equipa oficial da Bentley. Assim, a partir de 2016, a IMSA passará a utilizar as especificações FIA GT3, e tendo em conta a grande proximidade entre GTE e GT3 hoje em dia, os GTD serão objecto de ajustes de performance (BoP) através do peso e dos restritores. Em termos de equipas, a categoria continuará a exigir uma mistura de pilotos amadores com profissionais.

Fonte: comunicados de imprensa da IMSA