GT / Protótipos | Notícias | Portugueses

CNV / Portimão: Rescaldo

Dose dupla para Pedro Salvador e Rafael Lobato no Racing Weekend de Portimão

por Press Release, 11 de Maio de 2015 Sem Comentários

© Nuno Organista

Corrida 1

Pedro Salvador (Norma M20FC) usou a vantagem de partir da pole-position para chegar na frente à curva um. Logo atrás vinha Miguel Barbosa (Tattus PY12), muito pressionado por Francisco Abreu (Tattus PY12) e José Pedro Faria (Wolf GB08). A luta pelo segundo lugar permite que o homem da Speeedy Motorsport, se distancie e rapidamente consiga um vantagem de cerca de um segundo. Logo atrás uma luta sem quartel. Barbosa, no Tattus do BP Ultimate Vodafone Team, é cada vez mais pressionado Francisco Abreu. Rodam colados, a menos de meio segundo, até que o Tattus do Team Novadrive aparece no segundo posto, decorria a terceira volta. José Pedro Faria tenta um lugar no pódium, mas pouco depois perde para Gonçalo Araújo. Com oito voltas disputadas esta era a luta do momento, pois logo de seguida o homem do wolf recupera o posto. Na frente Pedro Salvador, vê Francisco Abreu a chegar-se um pouco mais. Aparentemente o  Tattus está mais rápido cerca de duas três décimas por volta. É também por altura que o madeirense faz a melhor volta, em 1m 43,963s. Dez voltas decorridas e a diferença entre os dois primeiros é de oito décimas. Nos C3 Paulo Sá Silva gere a vantagem de cerca de seis segundos e meio sobre Gonçalo Rodrigues, ambos em Radical SR3.

Com a janela de troca de pilotos aberta, tudo indica que a gestão de troca de pilotos vai ser decisiva. Mas um golpe de teatro deixe Pedro Salvador à vontade na liderança. Francisco Abreu ruma para a box com a frente do Tattus em mau estado, depois de dar um toque no Radical de Paulo Sá Silva, que por seu lado entra na box à 13ª volta. Azar para o angolano, que perde uma dúzia de voltas na box. Nas trocas, José Pedro Faria passa o volante a Miguel Cristóvão, que ao retomar a prova terá excedido a velocidade máxima permitida no pit lane e portanto, teve que cumprir um “drive through”, ou seja uma passagem extra pelas boxes, como forma de penalização. Penalização também para Francisco Abreu e Armando Parente, por terem feito a troca de pilotos, já com o período devido, encerrado. Outro “drivethrough” para acrescentar ao rol das penalizações. Rafael Lobato passa para o volante do Norma e rapidamente está na frente da corrida, com uma vantagem de cerca de 13 segundos sobre Ivo Nogueira, que substituiu Miguel Barbosa aos comandos do Tattus. Gonçalo Araújo corre atrás do terceiro lugar e não que olhar para os retrovisores. Miguel Cristóvão está a mais de meio minuto, depois da penalização. Nos C3, Gonçalo Rodrigues é agora o comandante descansado. Roda no quinto posto da geral, enquanto os seus principais adversários, Miguel Lobo e Paulo Sá Silva perdem tempo na box.

Rafael Lobato controla a corrida na fase final. O pódium está decidido: Rafael Lobato e Pedro Salvador (Norma M20FC) vencem a primeira corrida do fim-de-semana. Ivo Nogueira e Miguel Barbosa (Tattus PY12) são os segundos. Gonçalo Araújo encerra o pódium. Gonçalo Rodrigues (Radical SR3) corta a meta em quinto, logo atrás Miguel Cristóvão, e vence a categoria.

Dizem os vencedores:

Pedro Salvador: “Foi um resultado muito positivo. Depois dos tempos realizados esta manhã nos treinos cronometrados, ficamos muito confiantes. Apesar de tudo tivemos um carro muito bom nas primeiras seis, sete voltas, depois disso o comportamento do carro deteriorou-se; começou a ficar muito sobrevirador e manteve-se assim até final da prova. Estivemos com um excelente nível para os tempos, mas precisamos de evoluir o set-up  de corrida de forma a que o carro fique mais constante durante toda a prova.”

Rafael Lobato: “Fiz o segundo turno foi tranquilo, não tive que andar muito, foi mais uma questão de manter o ritmo e gestão de corrida e tentar manter a máxima vantagem para o segundo classificado. Estava com alguns problemas de pescoço, esta última curva cansa bastante, e foi tentar aguentar  o máximo até ao fim… e a vitória sabe sempre bem.”

CNV / Portimão: Corrida 1

P.ºCl.N.PilotosChassisVLTDif.P.º Cl.
1.ºSP CN9Pedro Salvador / Rafael LobatoNorma M20FC28*[ 1.º ]
2.ºSP CN7Miguel Barbosa / Ivo MoreiraTatuus PY01228+10.239s[ 2.º ]
3.ºSP CN13Gonçalo AraújoTatuus PY01228+47.597s[ 3.º ]
4.ºSP CN14José Faria / Miguel CristovãoWolf G80828+1:02.143s[ 4.º ]
5.ºSP C317Gonçalo RodriguesRadical SR324-4 voltas[ 1.º ]
6.ºSP CN11Francisco Abreu / Armando ParenteTatuus PY01220-8 voltas[ 5.º ]
7.ºSP C38Paulo Silva / Miguel LoboRadical SR317-11 voltas[ 2.º ]
* tempo total de prova não disponibilizado

Corrida 2

Pedro Salvador e Rafael Lobato (Norma M20FC) bisam, depois de uma corrida imprópria para cardíacos, com constantes trocas de posições e incerteza q.b. até ao baixar da bandeira xadrez.

Rafael Lobato (Norma M20FC) valeu-se da pole-position para arrancar melhor do que a concorrência. Era primeiro, mas trazia Armando Parente (Tattus PY12), a cerca de meio segundo. Ivo Nogueira caia na classificação, devido a uma saída ligeira, e depois de baixar até ao sexto lugar, tinha que fazer uma corrida de trás para a frente, para recuperar o tempo perdido. Miguel Cristóvão (Wolf GB08) era quem mais lucrava e assistia de palanque à luta pela primeira posição. Que se mantinha favorável a Lobato, mas sempre sem se destacar mais de um segundo. A bordo do Wolf a pressão era certamente maior. Ivo Nogueira, que vinha a recuperar, cola-se a Miguel Cristóvão e este passa a adoptar um andamento mais defensivo. Os homens da frente destacam-se e a luta pelo terceiro posto ganha nova emoção. Nos C3, Miguel Lobo (Radical SR3) comanda é sexto da geral, com uma vantagem confortável sobre Gonçalo Rodrigues (Radical SR3), cujo carro parece não ser suficientemente rápido em recta.

À sétima volta há novidades nas posições da frente. Ivo Nogueira cumpre o que já tinha ameaçado e ultrapassa Miguel Cristóvão. Gonçalo Araújo é quinto, sempre sem perder o contacto. Na primeira posição, a novidade passa pelo facto de Lobato ter ganho mais umas décimas a Parente e a vantagem é agora de cerca de um segundo e meio. Prova a meio, abre-se a janela de troca e Rafael Lobato vai à box para passar os comandos do Norma a Pedro Salvador. Parente aproveita para se manter em pista e dessa forma tentar ganhar alguma vantagem que lhe possa servir para ser primeiro. A luta pelo terceiro posto está ao rubro e os três homens que o disputam vão todos juntos para a box. Nesta fase, qualquer pequeno erro pode significar a perda de uma ou duas posições. Neste jogo, quem levou a melhor foi Gonçalo Araújo, que quando retomou a corrida já era terceiro, no entanto seria “Sol de pouca dura”, pois terá excedido a velocidade no pit lane (foi detectado a 65,1 Km/h) e teve que cumprir um “drive through”, que o atira para o quinto posto. Paulo Sá Silva recebe os comando do Radical de Miguel Lobo e regressa à pista, sempre na frente dos C3.

Miguel Barbosa tem igualmente que fazer uma passagem pelas boxes, pois Ivo Nogueira tinha excedido os limites da pista, durante o seu turno de condução. A estratégia de troca de pilotos foi decisiva. Francisco Abreu está na frente e detém uma vantagem de cerca de oito segundos, sobre Pedro Salvador que saiu tardiamente das boxes, explicando o facto por "um problema com o cronómetro". A segunda parte da corrida promete animação q.b. Pedro Salvador parece apostado em seguir para a frente e começa a ganhar décima após décima. Com 40 minutos de prova, o safty car entra em pista. O Tattus de Miguel Barbosa está parado na pista, com problemas mecânicos.

Retomada a prova Francisco Abreu arranca na frente, Pedro Salvador é uma sombra do primeiro. Foi assim até à curva 5, quando o homem do Norma trava tarde e assume o comando. A prova estava quase a terminar, mas ainda não estava decidida. Pedro Faria segue o exemplo de Salvador e passa para o segundo posto. O pódium fica ordenado com Pedro Salvador e Rafael Lobato (Norma M20FC) na primeira posição, seguidos de Pedro Faria e Miguel Cristóvão (Wolf GB08) e de Francisco Abreu e Aramando Parente (Tattus PY12). Gonçalo Araújo (Tattus PY12) foi o quarto classificado, à frente dos vencedores da Categoria C3, Paulo Sá Silva e Miguel Lobo (Radical SR3).

Dizem os vencedores:

Rafael Lobato: “Fiz um bom arranque, consegui aguentar o Armando na primeira e segunda voltas. A partir daí foi andar ao máximo para conseguir ganhar alguma distância. Consegui ganhar um segundo e meio e entreguei o carro ao Pedro com essa vantagem. Infelizmente perdemos bastante tempo na troca de pilotos.”

Pedro Salvador: “Na paragem das boxes tivemos um problema com o cronómetro dentro do carro e ficamos um pouco perdidos no tempo dentro das boxes. Não quisemos correr riscos, acabamos por sair tarde e perdemos tempo  claramente na troca de pilotos. Durante o meu turno procurei gerir os pneus nas primeiras voltas, para tentar forçar na parte final, mas a desvantagem era muito grade. Vi uma oportunidade na entrada do safty car, tentei aproveitá-la nas duas ultimas voltas e consegui.”

CNV / Portimão: Corrida 2

P.ºCl.N.PilotosChassisVLTDif.P.º Cl.
1.ºSP CN9Pedro Salvador / Rafael LobatoNorma M20FC27(51:37.418)[ 1.º ]
2.ºSP CN14José Faria / Miguel CristovãoWolf G80827+3.212s[ 2.º ]
3.ºSP CN11Francisco Abreu / Armando ParenteTatuus PY01227+4.229s[ 3.º ]
4.ºSP CN13Gonçalo AraújoTatuus PY01227+4.247s[ 4.º ]
5.ºSP C38Paulo Silva / Miguel LoboRadical SR324-3 voltas[ 1.º ]
6.ºSP CN7Miguel Barbosa / Ivo MoreiraTatuus PY01220-7 voltas[ 5.º ]
7.ºSP C317Gonçalo RodriguesRadical SR320-7 voltas[ 2.º ]

Comunicado de Imprensa do Racing Weekend