Le Mans | Notícias | WEC

World Endurance Championship

Brabham no bom caminho para regressar à competição

por Hugo Ribeiro, 16 de Novembro de 2014 Um Comentário

© Project Brabham

A Brabham segue no bom caminho para o regresso à competição. A campanha de crowdfunding foi um sucesso absoluto, e brevemente os planos para colocar toda a estrutura em pé irão iniciar-se. Em entrevista ao site sportscar365.com, David Brabham sublinha que o objectivo passa por inscrever um LMP2 na temporada 2015 do WEC, talvez a partir da terceira prova (Le Mans).

Um enorme sucesso. É assim que se pode descrever a primeira fase do renascimento da Brabham Racing. A campanha de crowdfunding atingiu o objectivo de recolher 250 mil libras (um pouco mais de 310 mil euros) seis dias antes do prazo, prazo esse que terminou ontem com um total de 278,477 libras recolhidas (quase 350 mil euros) — que é já o projecto desportivo mas bem sucedido de sempre na plataforma de crowdfunding INDIEGOGO, e um dos que mais fundos recolheu em todas as plataformas do género.

“Bem, a nossa campanha de crowdfunding terminou, e que grande sucesso foi,” afirmou David Brabham em comunicado. “Com o apoio da comunidade, reunimos mais de 278 mil libras oriundas de 64 países e ganhamos uma exposição global incrível. Em nome da equipa Brabham, agradecemos a cada um de vós, independentemente de quanto contribuíram. è muito bom ter-vos a todos como parte da nossa equipa. Vamos avançar agora para a construção da Brabham Digital e para a produção de todos os materiais necessários para trazer investimento e patrocinadores, de forma a que isto se torne uma realidade rapidamente.”

Segue-se então a construção da Brabham Digital, um portal concebido em três partes — fãs, engenheiros e pilotos. A plataforma para fãs irá disponibilizar acesso à telemetria, videos behind-the-scenes, comunicações rádio e até dados da estratégia de corrida. A plataforma para engenheiros irá providenciar acesso ao projectos de desenvolvimento técnicos, incluindo ao futuro LMP, providenciando ainda certificação a que estiver envolvido. A plataforma para pilotos, providenciará treino especifico através de e-learning, envolvendo nutricionistas, psicólogos, treinadores, etc. E todos os materiais necessários para iniciar os contactos com potenciais investidores e patrocinadores, de forma a recolher os 2 milhões de libras necessários para que a equipa esteja a competir no WEC em 2015. Mas para que todo o pacote esteja pronto, faltam ainda reunir mais 500 mil libras, nomeadamente para o investimento na infra-estrutura necessária para a cloud-based Brabham Digital.

Simultaneamente, a equipa está já num processo preliminar de escolha do chassis LMP2 a ser utilizado em 2015. A estreita relação entre David Brabham com a Honda/HPD poderá dar a entender que esta será a escolha obvia, mas Brabham, em entrevista ao site norte-americano sportscar365.com, afirma que todos [os construtores LMP2] estão em pé de igualdade e e que a escolha terá de fazer sentido para a equipa como um todo. Claro que, ter Piers Phillips como Team Manager — com enorme experiência em chassis HPD, dos LMP2 ao último LMP1 — também ajuda a alimentar a ideia que que a Brabham irá apostar no novo HPD ARX-04a. Quanto a pilotos, Brabham reconhece-se que não sabe se será capaz de pendurar o capacete e ficar de fora apenas a liderar a equipa, mas de qualquer forma é ainda cedo para falar de nomes. Com grande parte da família Brabham envolvida no projecto, não seria de estranhar que Matthew Brabham (filho do irmão Geoff Brabham) e Sam Brabham (filho do próprio David) acabassem por se sentar no LMP...

“O objectivo é competir em 2015. Tudo o que fazemos é com isso em mente”, afirmou David Brabham ao sportscar365.com. “Nas nossas discussões internas é claro que queremos competir no próximo ano. Poderá não ser na primeira ou na segunda, mas poderá muito bem ser na terceira (prova). Não nos queremos precipitar. Estou envolvido no automobilismo há muito tempo e já estive em situações onde as pessoas se precipitaram para estarem logo na primeira corrida. Não estão prontos, começamos a temporada sem estarmos prontos e depois nunca conseguimos recuperar. Prefiro dar um passo atrás, testar como deve ser, ter tudo pronto a rodar, com todos a trabalhar em conjunto, e depois sim começar a competir. Assim estaremos em muito melhor forma.”

Fonte: Comunicado de Imprensa da Brabham Racing e Sportscar365.com