Notícias | USCC

United SportsCar Championship

Alterações na gestão e no BoP da USCC antes da etapa no CoTA

por Andrew Remedios, 15 de Setembro de 2014 Sem Comentários

A IMSA introduziu algumas alterações na gestão do United SportsCar Championship antes da penúltima prova no Circuit of The Americas (CoTA), nomeadamente o regresso de Beaux Barfield, para além de mexidas no BoP, e ainda algumas novidades entre as equipas do campeonato para a prova que contará ainda com uma corrida do Campeonato do Mundo de Resistência.

Alterações na gestão da IMSA

Depois de um início de época atribulada tanto para a direcção de corrida como para a direcção técnica, salvo alguns pequenos soluços desde Sebring, tem havido muito menos críticas. Mesmo assim, a IMSA e a equipa liderada por Ed Bennett e Scott Atherton introduziram algumas alterações ao departamento de competição responsável pelo USCC que entram em vigor já na corrida de CoTA, com as entradas de Simon Hodgson, Beaux Barfield e Mark Raffauf, e mudanças de funções para Scot Elkins e Paul Walter, dois dos maiores visados das críticas no início do ano.

Em primeiro lugar, na Direcção-Geral, com o britânico Simon Hodgson a juntar-se a Scot Elkins. Este último passará a gerir apenas a parte técnica, nomeadamente os regulamentos técnicos, o ajustamento de performance (BoP), e ainda a coordenação técnica com outros organismos, como a FIA e o ACO. Por seu lado, Hodgson assumirá as funções de gestão das operações competitivas, nomeadamente a supervisão dos directores de corrida. Tal como Elkins, Hodgson reportará à Scott Atherton, Director Operacional da IMSA.

Nesta reorganização Hodgson passará a dirigir não só Paul Walter como também os outros dois recém-chegados, Beaux Barfield e Mark Raffauf. Barfield regressa às corridas de endurance norte-americanas depois de 3 anos na IndyCar Series, assumindo as funções de director de corrida, a mesma posição que tinha no ALMS entre 2008 e 2011. Walter, director até agora, passará a director nas operações competitivas, onde continuará a gerir os calendários desportivos e os regulamentos suplementares. Finalmente, Raffauf, antigo chefe de competição da IMSA e Grand-Am, assume a função de director para as plataformas competitivas, onde será responsável pela a gestão do dia-a-dia das competições da IMSA.

Para Atherton, "a entrada de Simon na nossa equipa de gestão superior e a redefinição das responsabilidades de Scot colocam a IMSA numa forte posição, tanto ao nível doméstico como internacionalmente. Simon chega com uma rica experiência na indústria e ganhou o respeito de quase todos com quem entrou em contacto até agora. Igualmente, Scot mantém uma voz forte na definição dos regulamentos técnicos que ditam o futuro do nosso desporto nos EUA, Europa e pelo mundo."

Em declarações ao site RACER.com, Atherton ainda apresentou um outro motivo porque as alterações ocorreram agora e não no final da época, frisando que "acredita que enviamos uma mensagem bem alta e clara aos nossos stakeholders, alguns dos quais esperavam de nós mudanças ou pelo menos alguma visão para o futuro."

Alterações ao Ajustamento de Performance (BoP) para o CoTA

Outra das grandes novidades nas semanas que antecederam o regresso à competição após as férias de verão foi a alteração do BoP para melhorar alguns aspectos entre os participantes.

Na categoria de Protótipos, o HPD ARX-03b da ESM ganhou potência (maiores restritores) e depósito (mais um litro para 76l) mas também peso (mais 40kg). Estas especificações aplicar-se-ão também ao Ligier JS P2-Honda da OAK Racing, que se estreia em CoTA.

Tanto os Corvette DP como os Ford EcoBoost, perderam na capacidade do depósito de combustível, com os primeiros a baixarem 6 litros (para 70l) e os Ford 3 litros (para 73l).

Na categoria GTLM, a IMSA finalmente alterou um pouco as especificações para os Corvette após algumas corridas em que os Corvette se virem um pouco para trás precisamente devido a alterações ao BoP numa altura em que dominavam o campeonato. Os Corvette viram o seu peso baixar em 15kg e ainda um ligeiro aumento de potência através de um restritor de ar maior em 0,3mm.

Por seu lado, o Ferrari da Risi Competizione, após a vitória em Virginia, perde um pouco de potência, com menos 0,3mm de restritor. Finalmente, os BMW Z4 ganham potência (restritor mais pequeno em 0,4mm) mas também peso (mais 25kg).

Fonte (declarações): comunicado de impresa da IMSA