ELMS | Notícias | Portugueses | Privado

ELMS / 4H Red Bull Ring: Corrida

Alpine é o terceiro vencedor diferente em três corridas ELMS — Albuquerque terminou na 2ª posição

por Press Release (edição: Press Release), 25 de Julho de 2014 Um Comentário

© Signatech Alpine

O European Le Mans Series regressou às pistas neste passado fim-de-semana, na Áustria, com as 3 Horas de Red Bull Ring. Mais uma prova extremamente disputada e com a vitória em aberto até aos últimos momentos da corrida. Em três provas, três vencedores diferentes no ELMS, desta feita com a Signatech Alpine a subir ao degrau mais alto do pódio. O piloto português Filipe Albuquerque e a Jota foram uma vez mais um dos protagonistas em pista, e o segundo lugar final mantém o campeonato em aberto.

© ELMS

© ELMS

LMP2: Terceira Corrida, terceiro vencedor diferente — Filipe Albuquerque terminoU no 2º lugar

Primeira hora

Apesar de algumas nuvens que apareceram durante as voltas de abertura das 4 Horas de Red Bull Ring, foi sob forte calor que às 14h00 foi dada a partida. Filipe Albuquerque com o habitual Zytek Z11SN da Jota Sport arrancou muito bem à cabeça do pelotão enquanto Nelson Panciatici, ao volante do Alpine A450 da equipa Sinatech, ganhou um lugar no final da primeira volta para se colocar atrás do Oreca 03 #34 da Race Performance (Frank Mailleaux). O Morgan Judd da NewBlood by Morand Racing (#43) iniciou a prova com Pierre Ragues ao volante, enquanto coube a Julien Schell começar as hostilidades pelo lado da sua equipa Pegasus Racing. Por seu lado, ainda na fase inicial, os dois Zytek Z11 SN Nissan da Greaves Motorsport foram para as boxes, aproveitando a presença do Safety Car - devido ao BMW Z4 GTC do Team Russia by Barwell ter ficado atravessado na pista – para uma paragem prematura.

O Zytek #28 da Greaves subiu rapidamente na classificação graças à pilotagem do novo membro da equipa, Luciano Bacheta. Por seu turno, Mark Patterson, ao volante do Zytek #41, subiu igualmente na classificação, mas foi obrigado a abrandar devido ao tráfego gerado pelos doze GTC e treze LM GTE em pista. Após a primeira hora, estes dois Zytek tinham já conseguido aproximar-se do pelotão LMP2.

Enquanto a Jota Sport e a Race Performance ganhavam um claro avanço para o restante pelotão dos LMP2, a batalha para o terceiro lugar conhecia a sua intensidade máxima entre três franceses (Nelson Panciatici, Pierre Thiriet e Pierre Ragues) de três equipas diferentes (Signatech Alpine, Thiriet by TDS Racing e NewBlood by Morand Racing). Pouco tempo antes do fim da primeira hora, o Alpine A450 abriu o caminho das boxes para a primeira ronda de abastecimentos, logo seguido pelo #29 da Pegasus, #38 da Jota Sport (com Filipe Albuquerque) e o #45 da Thiriet by TDS. O último carro a entrar nas boxes foi o Morgan da NewBlood by Morand Racing que, tendo levado o esforço demasiado longe, ficou sem combustível no “pit lane”. Os mecânicos da equipa tiveram então que empurrar o carro até à respectiva box, perdendo longos e insubstituíveis segundos com a manobra.

© Schmitz Muhr

© Schmitz Muhr

Segunda Hora

O começo da segunda hora de prova ficou marcado pela saída de pista do Ligier JS P2, pilotado nesse momento por Ludovic Badey, que evitou por pouco o contacto com os rails de protecção. Em seguida, Badey levou o carro até às boxes para os mecânicos poderem intervir na suspensão dianteira e nos discos de travões. O Ligier perdeu aqui preciosos minutos, mas regressou à pista ainda com Badey ao volante. No entanto, o regresso foi de curta duração, pois o Ligier seria vitima de uma nova saída de pista devido à quebra do suporte do cubo da roda traseira esquerda, sinónimo de desistência para o carro #46.

Entretanto, na frente da corrida, o Oreca 03 da Race Performance apoderou-se do comando com o veterano Michel Frey à frente de Simon Dolan, no Zytek da Jota Sport, e do Alpine #36, nas mãos de Paul-Loup Chatin. Após 1h20 de corrida, Simon Dolan ensaiou – e conseguiu – retomar a liderança da prova. Logo em seguida, o piloto do Alpine conseguiu apoderar-se do segundo posto à custa de Michel Frey, que caiu para terceiro com o Oreca #34. Mas a batalha não terminaria por aqui, pois na 66ª volta, o Alpine da Signatech chegou ao comando da prova em sequência da paragem para abastecimento do Zytek de Dolan. No final da segunda hora de corrida, o Alpine azul liderava com 1,46 s de avanço sobre o carro branco da Jota Sport. O terceiro posto passava a ser ocupado pelo Zytek #28 da Greaves Motorsport, pilotado por Mark Shulzhitskiy, enquanto o Morgan da NewBlood by Morand Racing rodava na 4ª posição com Gary Hirch ao volante. Frank Mailleux tinha retomado o volante do Oreca 03 da Race Performance e rodava à frente do segundo carro da Greaves, ou mais precisamente, do Zytek #41 de Matt McMurry.

© ELMS

© ELMS

Terceira Hora

Estava muito calor no Red Bull Ring na altura em que a corrida entrou na sua terceira hora, garantindo dificuldades acrescidas para pilotos e máquinas. Mas apesar disso a prova prosseguia em bom ritmo. Entretanto, uma má notícia batia à porta da equipa NewBlood by Morand Racing ao receberem uma penalização de 15 s (Stop & Go) devido ao Morgan ter ultrapassado a velocidade máxima permitida nas boxes. Outro Morgan, o da Pegasus Racing, rodava então no fim do pelotão após ter perdido cerca de 15 voltas devido a uma intervenção técnica no início da corrida. Ao volante, Nicki Leutwiller tentava encontrar caminho através do tráfego para subir na classificação.

Na frente, Paul-Loup Chatin continuava no comando da corrida, rodando com cerca de 3,5 s de vantagem sobre Simon Dolan, com os dois a fazerem tempos muito semelhantes. Por seu turno, o Zytek #28 instalava-se confortavelmente no terceiro posto, a 46 s do líder. Logo atrás, o Oreca 03 #34 que se manteria na 4ª posição até à ronda seguinte de paragens e abastecimentos.

Na 95ª volta o Alpine da Signatech parou para abastecer e, ainda com Paul-Loup Chatin ao volante, regressou à pista na terceira posição. Mantendo-se também ao volante, Simon Dolan recuperou o segundo lugar, logo seguido por Frank Mailleaux (Oreca 03 #34 da Race Performance). Na equipa NewBlood by Morand Racing continuavam os contratempos, com Gary Hirsch a cortar por duas vezes a linha branca de entrada das boxes e, por isso, a receber nova penalização, agora de dois minutos. Na 98ª volta, o britânico Harry Tincknell rendeu Simon Dolan ao volante do Zytek da Jota, permitindo que o Alpine regressasse ao comando da prova.

Na 100ª volta, Gary Hirsh cumpriu a sua segunda penalização antes de entregar o volante a Christian Klien, que saiu na sexta posição, a três voltas do líder. Motivado para recuperar o atraso, o piloto austríaco realizou então o melhor tempo da corrida até ao momento, cumprindo a 107ª volta em 1:25.068.

À medida que nos aproximávamos do final da terceira hora de prova, o companheiro de equipa de Filipe Albuquerque, Harry Tincknell, tratava de fazer a vida difícil ao Alpine A450… ao rodar a distâncias situadas entre 0,167 e 0,510 s - a luta pelo comando estava relançada entre o piloto britânico do Zytek e Paul-Loup Chatin. No terceiro lugar mantinha-se o Oreca 03 da Race Performance, seguido de perto pelo Zytek #28 da Greaves. Entre as voltas 119 e 120, a luta entre Thincknell e Chatin atingia o rubro, cativando a atenção de todos, em pista mas também em volta da pista… Fantástica ultrapassagem de Thincknell a Chatin, depois de Chatin a Thincknell… Que corrida!

© Signatech Alpine

© Signatech Alpine

Última hora

A quarta e derradeira hora das 4 Horas de Red Bull Ring começou com o Zytek #38 de Harry Thincknell à frente do Alpine #36 de Chatin. Em poucas voltas, o britânico foi construindo um pequeno avanço de 4 segundos. No terceiro lugar prosseguia Frank Mailleaux, a 34 segundos do comandante, realizando então a melhor volta da corrida, com 1:34.269 (126ª volta). Mark Shulzhitsky era então o 4º classificado, ao volante do Zytek #28 da Greaves Motorsport e Christian Klien, que já tinha ganho mais um lugar, pontuava agora na 5ª posição dos LMP2, na frente do #28 pilotado por Tom Kimber-Smith. Ao volante do Morgan #29 da equipa Pegasus Racing, Jonathan Coleman era agora 6º da classe rainha do ELMS, mas a equipa francesa tinha dificuldade em reduzir o atraso sofrido no início da corrida.

A 40 minutos do final da corrida, Simon Dolan retomou o lugar ao volante do Zytek # 38 da equipa de Filipe Albuquerque. Mudança também pelo lado da Signatech, com Oliver Webb a ocupar agora a “bacquet” do Alpine A450. Os dois britânicos prosseguiram então a luta iniciada pelos seus companheiros de equipa. Na volta número 132, Webb retomou o comando com uma brilhante ultrapassagem e abriu rapidamente um avanço de mais de 3 segundos. Michel Frey, de novo ao volante do Oreca 03 #34 mantinha-se no terceiro posto, à frente do Zytek #28 e do Morgan #43 de Christian Klien que rodava no 5º lugar. No entanto, o piloto suíço sofreria nova penalização, agora divido a condução antidesportiva.

O céu cobriu-se de nuvens para a parte final da corrida, mas as posições permaneceram imutáveis. O vencedor das 4 Horas de Red bull Ring acabaria por ser o Alpine A450 Nissan # 36 da Signatech Racing (Paul-Loup Chatin, Oliver Webb, Nelson Panciatici) com 12 segundos de avanço sobre o Zytek Z11SN Nissan # 38 da Jota Sport (Filipe Albuquerque, Simon Dolan e Harry Tincknell) e 18 segundos de avanço sobre o terceiro classificado, o Oreca 03 Nissan da Race Performance (Michel Frey, Frank Mailleaux). O 4º lugar ficou entregue a Luciano Bacheta e Mark Shulzhitskiy, ao volante do Zytek Z11SN Nissan da Greaves Motorsport. Seguiu-se o Morgan Judd da NewBlood by Morand Racing (Christian Klien, Gary Hirsch e Pierre Ragues) o Zytek #41 da Greaves (Tom Kimber-Smith, Matt McMurry e Mark Patterson) e o Morgan Nissan # 29 da Pegasus Racing (Julien Schell, Nicki Leutviller e Jonathan Coleman).

GTE e CTC: Ferrari com vitória clara após árdua disputa

As equipas da Ferrari conquistaram todos os lugares do pódio nas classes LM GTE e GTC na terceira ronda do European Le Mans Series de 2014. Mas a história não foi assim tão simples como os resultados parecem sugerir.

Na classe LM GTE o vencedor foi o Ferrari F458 #55 da AF Corse, partilhado por Duncan Cameron, Michele Rugolo e Matt Griffin, terminando claramente à frente do F458 #81 da Kessel Racing de Thomas Kemenater e Mateo Cressoni e do Ferrari #66 da JMW Motorsport, de Rob Bell, Daniel McKenzie e George Richardson.

No entanto, a corrida não foi muito fácil para as equipas da Ferrari, com o Aston Martin Vantage V8 da Gulf Racing, pilotado por Dan Brown a fazer um arranque fulgurante e a dominar o início da corrida, construindo um avanço muito significativo para o pelotão que se manteria durante as primeiras duas horas da corrida. O andamento do Aston Martin foi um dos motivos de conversa durante o fim-de-semana e só na segunda metade das 4 Horas de prova é que os Ferrari conseguiram tomar o controlo da mesma.

Na partida, à frente da grelha da classe LM GTE estava o Ferrari #72 da SMP Racing de Sergey Zlobin, depois de Andrea Bertolini ter levado o carro à “pole” na manhã de Domingo. O início da corrida foi muito intenso, mas o russo cortou a meta no final da primeira volta ainda no comando da classe. No entanto, na 4ª passagem pela meta o Ferrari tinha já caído para o 4º lugar, com Dan Brown no referido Vantage V8 da Gulf Racing a chegar ao comando à frente do Ferrari JMW #66 de Daniel McKenzie.

O período de Safety Car provocado pelo despiste do BMW Z4 do Team Russia by Barwell pilotado então por Leo Machitski voltou a agrupar o pelotão, mas após a bandeira verde Brown retomou o seu ritmo infernal e voltou a abrir um grande fosso para os restantes concorrentes. Na 20ª volta o Aston Martin tinha 10 segundos de vantagem sobre o segundo classificado. Sempre num ritmo muito forte, o piloto britânico manter-se-ia aos comandos durante as primeiras duas horas de prova, entregando depois o volante a Roald Goethe quando dispunha já de 30 segundos de vantagem sobre o segundo classificado. No entanto, uma paragem demasiado longa na box relegou o Aston Martin para o terceiro posto da classe. De volta à pista, o piloto alemão conseguiria retomar brevemente o comando, antes de outros pilotos mais experientes conseguirem alcançar o Aston Martin e desapossarem-no definitivamente do comando.

Quando faltavam 90 minutos para o final da corrida, Thomas Kemenater chegou ao comando da categoria LM GTE com o Ferrari da Kessel Racing mas logo em seguida seria apanhado por Matt Griffin, que substituíra Michel Rugolo aos comandos do Ferrari #55 da AF Corse. Dez minutos mais tarde, o piloto irlandês colocou-se em posição de disputar a primeira curva com o adversário. Griffin foi pelo lado de fora para evitar tocar num concorrente retardado que se cruzou no caminho dos dois Ferrari em luta. Os dois F458 subiram a colina para a curva 2 lado a lado, mas Griffin tinha a melhor linha e pode assim conquistar a liderança entre os LM GTE.

A uma hora do fim da prova, Kemenater e Griffin foram às boxes com uma volta de intervalo, entregando os carros respectivamente a Matteo Cressoni e Michele Rugolo. O Ferrari #81 da Kessel Racing foi o mais rápido na paragem, conseguindo assim retomar o comando da classe. No entanto, não tardou muito para Cressoni estar de novo a ser pressionado por parte do carro da AF Corse. A 30 minutos do final, Rugolo apontou pelo interior da trajectória de Cressoni na curva 1 e conquistou o comando entre os LM GTE, para o manter até ao final, cortando a meta com cerca de 30 segundos de avanço sobre o segundo classificado.

Entretanto, o Ferrari #66 da JMW Motorsport de Rob Bell tentava aproximar-se do Ferrari de Cressoni, mas a distância entre ambos era demasiado importante para que o piloto britânico a pudesse transpor antes do final da prova. O Ferrari #56 da AT Racing acabaria em 4º e o #54 da AF Corse ficaria na 5ª posição, com o o Ferrari da SMP Racing, o autor da “pole position”, a conseguir o 6º posto da classe, à frente do Aston Martin da Gulf Racing, agora pilotado por Stuart Hall.

Após as 4 horas de Red Bull Ring, o Ferrari #55 da AF Corse lidera o campeonato com 3 pontos de vantagem sobre o carro idêntico da SMP Racing, com Duncan Cameron e Matt Griffin a liderar a classificação de pilotos, por idêntica margem.

Apesar da SMP não ter podido capitalizar a sua pole nos LM GTE, a equipa pôde comemorar um expressiva “dobradinha” na classe GTC, com o Ferrari #71 de Kiril Ladygin, Aleksey Basov e Luca Persiani a alcançarem a sua primeira vitória da época, à frente do Ferrari #73 de Anton Ladygin, David Markosov e Olivier Beretta. No entanto, a equipa do Ferrari #73 da SMP Racing saiu do Red Bull Ring à frente do campeonato, após conseguir pela terceira vez em três corridas o terceiro lugar da classe. A tripla do F458 #73 dispõe agora de 12,5 pontos de vantagem sobre Johnny Laursen e Michael Mac, depois do Ferrari #60 da Formula Racing ter ficado no último posto da classificação geral (30º) e no último da classe (11º), apesar de ter partido da “pole position” dos GTC.

A classe GTC foi dominada pelas equipas da Ferrari, apesar da forte oposição oferecida na qualificação pelos McLaren da Art Grand Prix. Na corrida, após o período inicial do “Safety Car” causado pelo referido despiste do BMW Z4, o Ferrari #60 da Formula Racing tomou brevemente o comando para de seguida cedê-lo ao Ferrari #95 da AF Corse pilotado por Cedric Sbirrazuoli, piloto que se manteve à frente até à 11ª volta. Então foi a vez do Ferrari SMP #71 de Kiril Ladygin passar para a liderança, abrindo um confortável avanço até ao primeiro “pit stop”.

Nas duas horas seguintes, os dois Ferrari batalharam pelo primeiro lugar entre os GTC, com o F458 # 71 da SMP a segurar o ceptro. Na segunda metade da corrida, Olivier Beretta com o Ferrari #73 começou a recuperar o atraso para o carro idêntico da AF Corse, com o antigo piloto de Fórmula 1 a conseguir ultrapassar o adversário e colocando-se no segundo lugar da classe, embora cerca de 30 segundos atrás do seu companheiro voador, que se mantinha firmemente no comando das operações.

A classificação manteve-se então estabilizada até à bandeira de xadrez, com a dupla vitória da equipa russa SMP Racing. Em terceiro ficou o Ferrari #95 da AF Corse, com Sbirrazzuoli e Adrien de Leener, cerca de 30 segundos atrás do Ferrari SMP #73 de Beretta. O McLaren MP4 12C #99 da Art Grand Prix foi o primeiro não-Ferrari, com o 4º posto da classe, logo seguido do carro idêntico com o #98.

ELMS / 4H Red Bull Ring: Corrida

P.ºCl.N.EquipaChassis - MotorVLTDif.P.º Cl.
1.ºLMP236Signatech AlpineAlpine A450 Nissan160(4h00:16.248)[ 1.º ]
2.ºLMP238Jota SportZytek Z11SN Nissan160+12.385s[ 2.º ]
3.ºLMP234Race PerformanceOreca 03 Judd160+18.772s[ 3.º ]
4.ºLMP228Greaves MotorsportZytek Z11SN Nissan160+1:10.184s[ 4.º ]
5.ºLMP243Newblood by Morand RacingMorgan Judd158-2 voltas[ 5.º ]
6.ºLMP241Greaves MotorsportZytek Z11SN Nissan158-2 voltas[ 6.º ]
7.ºGTE55AF CorseFerrari 458 Italia153-7 voltas[ 1.º ]
8.ºGTE81Kessel RacingFerrari 458 Italia153-7 voltas[ 2.º ]
9.ºGTE66JMW MotorsportFerrari 458 Italia153-7 voltas[ 3.º ]
10.ºGTE56AT RacingFerrari 458 Italia153-7 voltas[ 4.º ]
11.ºGTE54AF CorseFerrari 458 Italia153-7 voltas[ 5.º ]
12.ºGTE72SMP RacingFerrari 458 Italia153-7 voltas[ 6.º ]
13.ºGTE85Gulf Racing UKAston Martin Vantage V8152-8 voltas[ 7.º ]
14.ºGTE70AF CorseFerrari 458 Italia151-9 voltas[ 8.º ]
15.ºGTC71SMP Racing Ferrari 458 Italia GT3151-9 voltas[ 1.º ]
16.ºGTC73SMP Racing Ferrari 458 Italia GT3150-10 voltas[ 2.º ]
17.ºGTC95AF CorseFerrari 458 Italia GT3150-10 voltas[ 3.º ]
18.ºGTE86Gulf Racing UKPorsche 911 GT3 RSR149-11 voltas[ 9.º ]
19.ºGTC99ART Grand PrixMcLaren MP4-12C GT3149-11 voltas[ 4.º ]
20.ºGTE58Team Sofrev-ASPFerrari 458 Italia149-11 voltas[ 10.º ]
21.ºGTE77Proton CompetitionPorsche 911 GT3 RSR149-11 voltas[ 11.º ]
22.ºGTC98ART Grand PrixMcLaren MP4-12C GT3148-12 voltas[ 5.º ]
23.ºGTC93Pro GT by AlmerasPorsche 911 GT3 R148-12 voltas[ 6.º ]
24.ºGTC63AF CorseFerrari 458 Italia GT3148-12 voltas[ 7.º ]
25.ºGTC75Prospeed CompetitionPorsche 911 GT3 R148-12 voltas[ 8.º ]
26.ºGTC57SMP RacingFerrari 458 Italia GT3147-13 voltas[ 9.º ]
27.ºGTE67IMSA Performance MatmutPorsche 911 GT3 RSR147-13 voltas[ 12.º ]
28.ºGTC59Team Sofrev-ASPFerrari 458 Italia GT3146-14 voltas[ 10.º ]
29.ºLMP229Pegasus RacingMorgan Nissan142-18 voltas[ 7.º ]
30.ºGTC60Formula RacingFerrari 458 Italia GT3125-35 voltas[ 11.º ]
Desistências
GTE76IMSA Performance MatmutPorsche 911 GT3 RSR107
LMP246Thiriet by TDS RacingLigier JS P2 Nissan40
GTC78Team Russia by BarwellBMW Z4 GT32

A próxima prova do ELMS será disputada no Circuito de Paul Ricard no sul de França, nos próximos dias 13 e 14 de Setembro. Será a penúltima prova da época 2014 do ELMS, com a grande final a realizar-se no Autódromo do Estoril, no mês de Outubro, com a organização da ACDME.