Notícias | Opinião | WEC

WEC / 6H CoTA

6H CoTA WEC: Antevisão da corrida LMP1

por Pedro Correia, 20 de Setembro de 2014 Sem Comentários

Depois do longo interregno, após as 24 horas de Le Mans, os protótipos do WEC regressam no continente americano, mais propriamente no Circuito das Américas, perto de Austin, no Texas.

Com a meteorologia instável, alternando entre a pista seca e húmida, significou que houve bastante preocupação nos treinos livres em procurar acertos eficazes para ambas as situações, não se verificando assim qualquer simulação de stint.

Pelos consumos verificados em outras corridas e os limites de fluxo impostos para as diferentes tecnologias permitem-nos ter uma ideia as estratégias a adoptar por cada construtor.

Energia ERS (MJ/volta) < 2 <6
Audi Toyota & Porsche
Energia máxima por volta (MJ/volta) Gasolina 62,6
Gasóleo 62,1
Energia por volta em litros Gasolina 2,09
Gasóleo 1,76
Autonomia teórica (voltas) Gasolina 32
Gasóleo 30

Assim, apenas baseando-nos nos aspectos teóricos, os Audi R18 deveriam ser capazes de cumprir turnos de 30 voltas com cada depósito de 54,2 litros de gasóleo e Toyota e Porsche deveriam ser capazes de fazer 32 voltas com 68,3 litros de gasolina.

Mas a experiência das corridas passadas diz-nos que dificilmente veremos estes stint, principalmente na Toyota, que costuma ficar aquém dos máximos permitidos em termos de autonomia. Para Austin a própria Porsche anunciou que deverá cumprir turnos de 31 voltas. Assim a nossa aposta mais segura seria de 29 voltas para a Audi, 30 voltas para a Toyota e 31 voltas para a Porsche.

Também pela primeira vez a Porsche utilizará um kit aerodinâmico específico para os circuitos convencionais, depois de se ter apresentado em Silverstone e Spa Francorchamps com a configuração aerodinâmica base para as 24 horas de Le Mans, com menor arrasto mas também menor carga aerodinâmica. A nova configuração, com mais apoio e consequentemente mais arrasto deverá prejudicar um pouco os consumos do V4 turbo, explicando que não se cheguem, em condições normais, às 32 voltas por depósito.

2013 2014
Audi 1:47,375 1:49,480
Toyota 1:48,745 1:48,993
Rebellion 1:50,302 1:53,296
LMP2 1:54,559 1:55,494

Dados os ritmos demonstrados até ao momento este ano, preveríamos um total de 186 voltas (em 2013 foram 187 voltas, com 4 voltas em condição de Safety Car), caso não se verificassem intervenções do carro de segurança e a corrida se disputasse integralmente em pista seca (algo muito improvável, atendendo às previsões meteorológicas). Isto porque os carros se têm demonstrado mais lentos, em relação a 2013, com esta tendência a não ser apenas observada nos LMP1-H, mas em todos os protótipos. Em contrapartida Toyota e Audi deverão cumprir mais 4 voltas por cada depósito de combustível que em 2013, quando faziam respectivamente 26 e 25 voltas, o que permitirá poupar uma paragem nas boxes.

Paragens 29 voltas 30 voltas 31 voltas
1 28 29 30
2 57 59 61
3 86 89 92
4 115 119 123
5 144 149 154
6 173 179 185

Nestas situações observamos que turnos de 31 voltas colocariam um carro no limite para parar apenas 5 vezes, contra 6 vezes para quem para quem fizer 29 ou 30 voltas, o que adicionaria outro ingrediente ao tempero da corrida.