Notícias | Portugueses | WEC

WEC / 6H Silverstone: Corrida

6 Horas de Silverstone WEC: Rescaldo

por Hugo Ribeiro, 30 de Abril de 2014 Sem Comentários

© FIA WEC

Cerca de 44 mil espectadores em Silverstone ao longo dos três dias (números oficiais), seguramente mais de 30 mil no dia da corrida. O Campeonato Mundial de Resistência 2014 arrancou no Reino Unido no fim-de-semana de Páscoa com uma corrida que teve um pouco de tudo e uma Audi absolutamente desastrada. A Toyota fez a dobradinha, a Porsche levou para casa o último degrau do pódio e a Audi... ficou com duas monocoques danificadas para reparar.

Casa bem composta em Silverstone, onde o Le Mans Portugal marcou presença  - tendo sido muito bem recebido pelo piloto português Filipe Albuquerque no paddock da Audi, por Mauricio Pinheiro, Team Manager na AF Corse, assim como pelo Director de Corrida do WEC, o também português Eduardo Freitas - e, como outras dezenas de milhares de fãs, não se cansou de "galgar" terreno e esquadrinhar cada centímetro do circuito de Silverstone, sem se esquecer de preparar algo especial que se seguirá antes de Spa.

Num ambiente festivo, apenas a chuva estragou a festa levando a que corrida acabasse por terminar quando havia ainda mais 30 minutos pela frente — e bem que chovia intensamente. Para a história ficam a primeira dobradinha da Toyota, o pódio na estreia/regresso da Porsche e o pior resultado da Audi desde as 1000 milhas de Petit Le Mans de 2011. Quanto às cores lusitanas, Pedro Lamy e Álvaro Parente foram os representantes lusos dentro de pista, com o piloto da Aldeia Galega a terminar na 2ª posição da classe GTE no Aston Martin Vantage #98, e o portuense em 6º da classe GTE Pro no Ferrari 458 Italia #52 da RAM Racing. Mas isso foram as notícias — entretanto já dadas —; vamos então ao rescaldo...

LMP1: Toyota vence, Audi envergonha-se

© Toyota Racing

© Toyota Racing

A Toyota Racing fez história em Silverstone. Pela primeira vez no seu regresso ao universo Le Mans, a marca nipónica fez a dobradinha ao classificar os seus dois Toyota TS040 nos dois primeiros lugares. Numa corrida que dominou por completo, a marca nipónica superou as suas duas rivais em performance e a estratégia de pneus. Um corrida sem falhas com Anthony Davidson, Nicolas Lapierre e Sebastien Buemi a subirem ao lugar mais alto do pódio. A aparente menor performance em Paul Ricard acabou por não passar disso mesmo, aparente, e tenha ou não escondido o jogo, é claro que o trabalho realizado no inverno começou já a dar os seus frutos.

“Foi um começo de temporada perfeito. Tenho de agradecer a todos na equipa por terem conquistado esta dobradinha para a Toyota Racing,” afirmou Yoshiaki Kinoshita, Presidente da Toyota Racing. “Trabalhos arduamente ao longo do inverno para preparar o Toyota TS040 e esta foi uma grande recompensa. A meteorologia foi um grande desafio, mas a equipa manteve-se alerta e fez as opções certas em termos de estratégia. Todos na equipa merecemos este resultado, mas foi uma luta intensa com a Audi e a Porsche, pelo que temos de manter o ritmo em Spa.”

© Porsche AG

© Porsche AG

Era uma estreia aguardada com expectativa. Depois de ter sido a mais rápida nos Testes Oficiais, embora  não tenha sido dominadora, talvez se esperasse mais luta por parte da Porsche Team, mas ter levado o kit Le Mans (baixo downforce) a Silverstone (um circuito de alto downforce) "talvez" não tenha sido a melhor das escolhas. Por outro lado, talvez seja melhor não descartar de todo alguns problemas em manter-se dentro dos limites do fluxo de combustível. As queixas já assumidas em relação aos medidores poderão não ser inocentes.

Mas, ainda assim, a Porsche tem motivos para sorrir. Um dos seus lindíssimos  - sim, o autor deste rescaldo tem especial simpatia para com decorações que quebrem a normalidade - Porsche 919 terminou no pódio, com Timo Bernhard, Brendon Hartley e Mark Webber a terminarem no 3º posto, respectivamente a 1 e a 2 voltas dos Toyota TS040. Apesar da velocidade de ponta estar lá, os Porsche foram-se mantendo a uma curta distância da luta entre Toyota e Audi ao longo de boa parte da prova, e só a espaços deram mostras de os puder alcançar. O #14 ficaria pelo caminho, mas antes de parar na box com um problema hidráulico que ditou a sua desistência com pouco mais de 1h15 de prova, seria a estrela de um momento caricato: após as primeiras paragens, uma das rodas da frente simplesmente seguiu um caminho diferente em pista -porca mal apertada ou não, certo é só aí perdeu 7 voltas para substituir parte da suspensão.

“No que diz respeito à nossa performance, não estou muito preocupado porque todo o projecto está na sua fase inicial. A desistência do carro #14 deixou-nos muito aborrecidos. Já com o #20, tivemos uma corrida de 6 Horas sem qualquer problema. Regressar a casa com um troféu na nossa primeira corrida é um grande resultado e penso que podemos todos dormir descansados,” afirmou Fritz Enzinger, Vice Presidente do Projecto LMP1 da Porsche AG. “Considerando o quão complexa toda esta novíssima tecnologia é, foi muito positivo terminar a corrida com um carro. O Porsche 919 #20 não teve qualquer problema, e vamos analisar exaustivamente as razões pela desistência do #14,” rematou Alexander Hitzinger, Director Técnico da Porsche Team.

© Rebellion Racing

© Rebellion Racing

O 4º lugar da Rebellion Racing foi o resultado possível. Não bastava já a diferença de andamento entre as equipas privadas e as de fábrica ser enorme, competir com um carro já antiquado foi uma dificuldade extra. Pódios, só mesmo com as equipas de fábrica a ficarem pelo caminho, e em Silverstone foi isso que aconteceu.

Não chegou para o pódio, mas deu pelo menos um 4º lugar ao Lola Toyota #12 de Nicolas Prost, Nick Heidfeld e Mathias Beche que tiveram um prova longe de qualquer problema providenciado ao "velhinho" Lola um final de carreira bem mais apropriado do que a dupla desistência na última prova da temporada 2013. Já o #13 não teve a mesma sorte, com um problema de caixa de velocidades a obrigar à desistência com apenas 24 voltas cumpridas, quando seguia à frente do #12.

“Coleccionamos muitos bons resultados com os Lola e foi bom terminar com um resultado bem melhor do que o do Bahrain no final da temporada 2013,” afirmou Nicolas Prost, piloto do Lola Toyota #12 da Rebellion Racing “Sabíamos que não podíamos cometer erros e tínhamos de esperar que os carros de fábrica os cometessem, e isso foi exactamente o que aconteceu. O que nós agora precisamos é de um novo e moderno carro para enfrentarmos os desafios do novo regulamento. Esta corrida de Silverstone mostrou-nos que em condições instáveis, sem tracção às quatro, vai ser difícil acompanhar os carros de fábrica.”

© Audi Motorsport

© Audi Motorsport

Para a Audi Sport Team Joest, Silverstone foi um verdadeiro pesadelo... molhado: não só nenhum dos seus carros não venceu, ou terminou no pódio, como acabaram mesmo ambos por desistir. Pior ainda: ambos devido a acidentes que resultariam em duas monocoques danificadas! A corrida até parecia estar a correr de feição. A qualificação havia sido discutida ao milésimo praticamente, e largando da 2ª (#1) e 4ª (#2) posições da grelha, os Audi R18 rapidamente iniciaram uma luta roda-a-roda com a Toyota. André Loterer, no Audi #2, conseguiu ao fim de 12 voltas finalmente fixar-se na frente da corrida, mas com as primeiras chuvas a caírem em Silverstone, iniciou-se o calvário da Audi com uma escolha desastrosa de pneus.

Com Toyota e Porsche a optar por pneus intermediários em pelo menos um dos carros, a Audi mantem os slicks em ambos, e pouco depois Lucas di Grassi sai de pista no #1 batendo forte nos rails à entrada da antiga recta da meta. O #1 regressa à pista, sem a frente, e apesar de já termos visto o R18 a regressar à pista em Le Mans após piores danos, a monocoque acabaria por se revelar afectada obrigando à desistência. Entretanto, já o #2 havia perdido a liderança para o Toyota #8 e saído de pista em Stowe onde perdeu dois minutos para ser retirado da gravilha. No final de duas horas de prova, o #2 leva já 3 voltas de atraso e encontrava-se atrás do Lola Toyota #12.

Já com Benoit Treluyer ao volante do #1, a Audi tenta desenfreadamente correr atrás do prejuízo. Subir à 4ª posição ocupada pela Rebellion foi fácil, mas alcançar o pódio iria ser algo bem mais complicado. Ao chegar ao final da 3ª hora, e com a chuva de novo a fazer a sua aparição, Treluyer resolveu "descomplicar": saiu de pista em Stowe, bateu forte e danificou outra monocoque — game over Audi! Desde Petit Le Mans 2011 que a Audi não via pelo menos um dos seus carros chegar ao fim.

“Um perda total é o pior cenário. Vamos para casa com zero pontos,” afirmou Ralf Jüttner, Director Técnico da Audi Sport Team Joest. “Queríamos pelo menos terminar para acumular experiência. Claro que as condições [meteorológicas] eram extremamente difíceis e, a respeito dos pneus, nós tomamos uma opção que se revelou demasiado arriscada. Perder ambos os carros e termos de arrumar tudo após a primeira metade da corrida não foi o desfecho que imaginamos. Pontos positivos: o carro é bom — isso foi óbvio. Até à nossa desistência estávamos a cumprir com a nova regulamentação [NdR: limitação do fluxo de combustível], mesmo que haja ainda muito que aprender. Para a malta, ter de preparar dois carros do nada vai ser muito duro. Não há muito tempo até Spa — onde iremos ter que tentar fazer bem melhor.”

Mais pormenores sobre a corrida na classe LMP1, sobretudo no que toca à "Batalha dos Híbridos", podem ser consultados no artigo 6 horas de Silverstone WEC: Análise da corrida LMP1.

LMP2: Houve Corrida?

Pois... com apenas quatro carros em pista, de tão diversa qualidade competitiva, a prova na classe LMP2 passou praticamente anónima. Quatro carros em pista não dá nem para aquecer sobretudo quando um deles, o Morgan Nissan #26 da G-Drive Racing, tem ao volante um piloto do gabarito de Olivier Pla.

O francês - que era a estrela maior da ASM Team nos seus tempos de ELMS - enquanto esteve ao volante não deu qualquer hipótese aos seus adversários. Responsável pelos primeiro e último turnos do Morgan Nissan, Pla logo desde o início imprimiu um ritmo tão forte que não foram precisas muitas voltas para deixar o seu mais sério rival  — o Oreca 03 Nissan #47 da KCMG — a léguas.

© DPPI / Onroak

© DPPI / Onroak

E não fossem duas paragens prolongadas (mesmo com menos uma paragem perdeu mais 20s na box do que a KCMG), para reparações nas ópticas (nas duas primeiras paragens) e para a trocar o capô (na segunda), o #26 provavelmente teria logo no primeiro quarto de prova conquistado uma vantagem bem confortável para o restante da prova, principalmente porque sendo Pla um fora de série, já Julien Canal estreia-se em absoluto num protótipo e Romain Rusinov esteve uns furos abaixo do que já nos habitou na temporada passada - embora no caso do russo, a opção por manter-se em pista com slicks quando chovia, não tenha sido a melhor, obviamente.

Uma penalização por stop&go por alguma azelhice nas paragens da equipa chinesa à entrada da 5ª hora de prova fez com que Julien Canal conseguisse finalmente passar o Oreca apesar de ter passado os seus dois turnos a menos de 2 segundos do #47, tendo no regresso de Pla a vitória ficado decididamente entregue. Quanto à SMP, rapidamente se colocou fora da luta pela vitória graças a uma performance muito baixa, e mesmo havendo algumas complicações técnicas pelo caminho, nunca mostrou andamento para acompanhar a G-drive e a KCMG. Valeu-lhes um paupérrimo plantel LMP2 para assegurarem o último lugar do pódio.

“Primeira corrida, primeira vitória: não podíamos desejar melhor resultado, mesmo que não tenha sido tão fácil quanto isso,” afirmou Olivier Pla, piloto da G-Drive Racing. “Tudo começou muito bem, mas depois tivemos um problema e acabamos por trocar o capô e reparar as ópticas que queimaram, pelo que, pelo regulamento, tínhamos de trocá-las rapidamente, o que noz fez perder imenso tempo. Com a chuva a incomodar de vez em quando, nada foi fácil. O carro estava perfeito, e tudo estava sobre controlo, no entanto. Foi muito bom começar desta forma e espero que esta seja a primeira de muitas vitórias.”

© Porsche AG

© Porsche AG

GTE: Porsche (Pro) e Aston Martin (Am) dividem vitórias entre si

Nas classes GTE, a Porsche AG Team Manthey (GTE Pro) e Aston Martin Racing (GTE Am) dividiriam entre si as vitórias correspondentes. Na GTE Pro, a corrida foi praticamente dominada pela Porsche e mesmo que a marca alemã tenha tido ao longo da prova a AF Corse e a Aston Martin à perna, a verdade é que manteve sempre a corrida controlada.

No final, quando os céus abriram a torneira, o Porsche 911 RSR #91, então líder, antecipou-se à concorrência para trocar para pneus de chuva, mas dado que a corrida nunca mais seria retomada, entregou desta forma a vitória aos seus colegas equipas do #92. Igual sorte acabou por acabou por cair sobre o Ferrari 458 Italia #51 da AF Corse que assim não terminou no último lugar do pódio, que acabou nas mãos do Aston Martin Vantage #97, mas, para o #51 esse foi o culminar de uma corrida muito difícil que incluiu um stop&go na 3ª hora de prova (para o #97 também...) quando lutava pelo 2º lugar, e um princípio de incêndio na 4ª hora que levaria à perca de 20s.

Álvaro Parente teve uma estreia muito promissora, rodando claramente ao nível dos melhores, e só é pena que a equipa tenha claramente subestimado as necessidades e particularidades da montagem de um programa a este nível — a equipa vai apenas no seu segundo ano de existência, embora seja formada por gente com vários anos de experiência, confirmando-se dias depois o que já se comentava no paddock: que a RAM iria ficar de fora da prova de Spa para salvaguardar o orçamento para Le Mans.

Entre os GTE Am, a corrida foi das mais animadas ao longo das 6 horas de prova com algumas e bem interessantes lutas em pista, parte delas pela liderança da prova, com pelo menos cinco dos oito carro inscritos a liderarem a prova em diferentes momentos da corrida (sete passaram pelo comando no total).

No final a Aston Martin Racing fez o pleno no topo do pódio, com a tripla constituída pelo piloto português Pedro Lamy, Christoffer Nygaard e pelo gentleman-driver Paul Dalla Lana (que em Silverstone esteve uns furos bem acima do que nos habituou em 2013) a terminar na 2ª posição no Aston Martin #98, depois de terem entrado na última hora de prova na liderança, perdida para os companheiros de equipa do #95. O Ferrari #81 da AF Corse fechou o pódio na classe. Um dos (teóricamente) favoritos na classe GTE Am, a 8 Star Motorsport, teve uma prova para esquecer entre penalizações, escolhas erradas de pneus perante a instabilidade meteorológica de Silverstone, e um problema eléctrico final a ditar a desistência.

Seguem-se as 6 Horas de Spa, que dado o nosso atraso em terminar este artigo, é já daqui a dois dias.

WEC / 6H Silverstone: Corrida

P.Cl.N.EquipaChassis - MotorVoltasDif.
1.ºP1 (H)8Toyota RacingToyota TS040 Hybrid167(5h22:42.296s)
2.ºP1 (H)7Toyota RacingToyota TS040 Hybrid166+ 1 volta
3.ºP1 (H)20Porsche AGPorsche 919 Hybrid165+ 2 voltas
4.ºP1 (L)12Rebellion RacingLola B12/80 Toyota159+ 8 voltas
5.ºP226G-Drive RacingMorgan Nissan154+ 13 voltas
6.ºP247KCMGOreca 03 Nissan152+ 15 voltas
7.ºPRO92Porsche AG Team MantheyPorsche 911 RSR147+ 20 voltas
8.ºPRO91Porsche AG Team MantheyPorsche 911 RSR147+ 20 voltas
9.ºPRO97Aston Martin RacingAston Martin Vantage V8147+ 20 voltas
10.ºPRO51AF CorseFerrari 458 Italia147+ 20 voltas
11.ºPRO71AF CorseFerrari 458 Italia146+ 21 voltas
12.ºPRO52RAM Racing [ Parente ]Ferrari 458 Italia146+ 21 voltas
13.ºP227SMP RacingOreca 03 Nissan145+ 22 voltas
14.ºPRO99Aston Martin RacingAston Martin Vantage V8144+ 23 voltas
15.ºAM95Aston Martin RacingAston Martin Vantage V8144+ 23 voltas
16.ºAM98Aston Martin Racing [ Lamy ]Aston Martin Vantage V8144+ 23 voltas
17.ºAM81AF CorseFerrari 458 Italia143+ 24 voltas
18.ºAM88Proton CompetitionPorsche 911 RSR142+ 25 voltas
19.ºAM53RAM RacingFerrari 458 Italia141+ 26 voltas
20.ºAM61AF CorseFerrari 458 Italia141+ 26 voltas
Não Classificados
P1 (H)2Audi Sport Team JoestAudi R18 e-tron quattro94
AM75Prospeed CompetitionPorsche 911 GT3 RSR83
P237SMP RacingOreca 03 Nissan65
P1 (H)14Porsche AGPorsche 919 Hybrid30
P1 (L)13Rebellion RacingLola B12/80 Toyota24
P1 (H)1Audi Sport Team JoestAudi R18 e-tron quattro24
Desistências
AM908Star MotorsportsFerrari 458 Italia118